Breaking News  
10 unicórnios chineses que você ainda não ouviu falar Empreendedorismo

10 unicórnios chineses que você ainda não ouviu falar

Você já deve ter ouvido falar em unicórnio e startups, mas o que você não deve saber é o que está acontecendo na China.

Cointimes
Cointimes

Esses unicórnios chineses já tem o valuation de mais de 1 bilhão de libras e estão a caminho de conquistar mercados no ocidente, ainda não conhece?

O que são unicórnios chineses e como atingir esse status?

Uma empresa unicórnio é aquela que conseguiu algo tão difícil quanto encontrar a criatura mítica: ser avaliada em 1 bilhão de dólares antes de abrir seu capital em bolsas de valores.

Ou seja, as unicórnios são as que arrecadam essa quantia antes de vender ações para o público e se tornar uma IPO (Initial Public Offering, em português “Oferta Pública Inicial” – OPI).

Você vai querer ver a lista abaixo com os principais unicórnios chineses da atualidade:

Zhihu

ZiHU - unicórnios chineses

Zhihu, que traduzindo para o nosso português claro é “Você sabe?”, é um site chinês de perguntas e respostas, onde perguntas são criadas, respondidas e editadas por uma comunidade de 65 milhões de usuários registrados, dos quais 18,5 milhões são ativos diariamente.

Entre seu lançamento em 2010 e 2016, o site teve 6 milhões de perguntas e 23 milhões de respostas postadas. A Zhihu atrai usuários de internet em que buscam conhecimento especializado sobre um determinado tema.

No início de 2017, a empresa foi avaliada em £ 750 milhões depois de atrair investimentos da Capital Today, da Tencent, da Sogou, da SAIF Partners, da Qiming Venture Partners e da Sinovation Ventures.

VIPKID

VIP KID - unicórnios chineses

A fundadora, Cindy Mi, queria reinventar a sala de aula para estudantes chineses. “A sala de aula como a conhecemos, não mudou nada em 200 anos”, diz ela.

Sua startup de educação com sede em Pequim é um dos unicórnios chineses, oferece aos estudantes com idades entre 5 e 12 anos na China, acesso a professores de inglês na América do Norte, através de sessões de vídeo individuais, em um nível das escolas de primeira linha nos EUA.

Mi fundou o VIPKID em 2013, e desde então tem crescido como uma escola digital global, hoje tem cerca de 200.000 alunos e 30.000 professores.

Em agosto de 2017, alcançou o status de unicórnio com uma avaliação de 1,12 bilhão de libras esterlinas, após uma rodada de investimento de 562 milhões, liderada pela Sequoia Capital China e pela Tencent Holdings.

Mi prevê mais crescimento: “Esperamos ter 1 milhão de estudantes em 2019 e estamos crescendo em cerca de 5.000 novos professores por mês. Acreditamos que teremos dez milhões de estudantes em menos de uma década”.

TujiaTujia - unicórnios chineses

Tujia é a resposta da China para o Airbnb. Cofundada em 2011 pela CTO Melissa Yang e pelo CEO Luo Jun, aproveita com sucesso a crescente indústria de turismo da China, impulsionada pelo aumento da renda disponível e pelo apoio do governo ao setor.

O site lista 300.000 propriedades em 345 locais da China, adaptados para viajantes chineses. Casas particulares que incluem as comodidades que você encontraria em um hotel: todas as propriedades devem ter serviços regulares de limpeza, vilas de luxo vêm com um mordomo, e os clientes podem optar por alugar outros itens, como bicicletas, durante a sua estadia.

A empresa de aluguel de imóveis de curto prazo é a maior do país e está avaliada em mais de 1,12 bilhão de libras. A última rodada de investimentos arrecadou £ 225 milhões do agente de viagens chinês Ctrip.com, All-Stars Investment, New Economy Fund da China Renaissance e G Street Capital.

Cambricon

 

Unicórnio chinês - Cambricon

A Cambricon está desenvolvendo um chip processador inspirado no cérebro que simula células nervosas humanas e sinapses para conduzir o aprendizado profundo.

O unicórnio chinês sediado em Pequim, fundada em 2016, foi avaliada em £ 750 milhões em agosto, após um compromisso da Academia Chinesa de Ciências de £ 1,05 milhão para pesquisa e desenvolvimento. Se for bem sucedido, o chip será o primeiro processador a realizar aprendizagens profundas, simulando os nervos humanos.

O que diferencia os chips das redes neurais existentes que exigem milhares de aceleradores baseados em GPU é um design mais eficiente que consome menos energia.

Em 2016, lançou seu primeiro chip, 1A, projetado para smartphones, vigilância de segurança, veículos aéreos não tripulados, wearables e veículos de condução autônomos. A empresa, fundada pelos irmãos Chen Yunji e Chen Tianshi, possui seis investidores, entre eles o gigante chinês do comércio eletrônico Alibaba Entrepreneurs Fund .

NetEase Cloud Music

netease

O NetEase Cloud Music foi lançado em 2013 como um serviço de streaming de música onde os usuários podiam criar listas de reprodução de suas músicas e vídeos favoritos. Em seguida, adicionou um aspecto de mídia social que incentivava os ouvintes a aprender sobre a música e os artistas e a se envolver com amigos.

O unicórnio chinês sediado em Pequim, fundada por William Lei Ding, cresceu para o status de unicórnio – agora está avaliada em £ 870 milhões, atraindo investimentos da China International Capital Corporation, da Hunan TV & Broadcast Intermediary e da Shanghai Media Group. Em abril de 2017, a NetEase tem 400 milhões de usuários que criaram cerca de 600.000 listas de reprodução.

Meituan-Dianping

Meituan-Dianping é uma startup pouco conhecida (pelo menos no oeste) que é melhor descrita como um mashup entre Yelp, Groupon e Uber Eats.

A empresa, formada por meio de uma fusão em 2015, é hoje a quarta empresa de tecnologia mais valiosa do mundo, chegando a 22 bilhões de libras e garantindo a vaga entre os unicórnios chineses.

Sua plataforma oferece alimentos, livros, roupas e ingressos de cinema, e se mostrou atraente para investidores como Tencent Holdings e Sequoia Capital, que contribuíram para sua mais recente rodada de financiamento de £ 3 bilhões.

800.000 dólares para ajudar o governo dos Estados Unidos a criar solução em blockchain

NIO

A NIO , com sede em Pequim , anteriormente conhecida como NextEV, fabrica veículos inteligentes, elétricos e autônomos. Além de fabricar carros para os consumidores, a empresa também participa do Campeonato de Fórmula E da FIA, a primeira série de corridas totalmente elétricas de um único assento do mundo.

O NIO EP9 é um supercarro de tração nas duas rodas, elétrico, com tração nas duas rodas, que estreou na Saatchi Gallery em Londres em 2016. Em abril de 2017, a NIO anunciou que produziria mais dez EP9s para a pré-encomenda. clientes públicos com £ 1,11 milhões para poupar.

Seu carro conceito, com lançamento previsto para 2020, inclui um assistente digital de IA que aprende e se adapta às necessidades do motorista e do passageiro. O unicórnio chinês de tecnologia foi fundada por William Li em 2014, e agora é avaliada em £ 2,16 bilhões, com o apoio de 24 investidores chineses.

Xiaomi

Desde o seu primeiro lançamento em agosto de 2011, a Xiaomi se tornou a quinta maior fabricante de smartphones do mundo.

A empresa de eletrônicos, que também projeta, desenvolve e vende laptops, aplicativos móveis e dispositivos smarthome, fabricou mais de 60 milhões de smartphones em 2014.

Nesse mesmo ano, a Xiaomi foi a startup mais valiosa do mundo e um dos maiores unicórnios chineses até o momento – até ser superada pela Uber. Atualmente, está em terceiro lugar, atrás de Uber e Didi, com uma avaliação de £ 35 bilhões.

SenseTime

A SenseTime é uma startup de IA que fornece reconhecimento de texto, veículo e rosto para empresas de segurança e serviços financeiros de internet móvel – e agora, para a Honda.

O fabricante de automóveis está focado em inteligência artificial e, em 2017, anunciou uma parceria com a SenseTime para alimentar seus carros autônomos no futuro.

A tecnologia também tem sido usada pelas autoridades chinesas para rastrear e capturar suspeitos, identificando-os usando câmeras em espaços públicos, como aeroportos e festivais.

O SenseTime foi avaliado em julho em £ 1,10 bilhão após levantar uma rodada de financiamento de £ 307 milhões em 19 investidores, incluindo Qualcomm, Star VC, IDG Capital e Infore Capital. Fundada em 2014 por Xiaolan Xu, a startup deve se expandir no exterior no futuro próximo.

Cresce o número de startups nos mercados mais competitivos do Brasil

Mogujie

Mogujie criou um nicho no mercado de e-commerce de moda misturando uma rede social com compras online. Fundado por Chen Qi em 2011, o aplicativo vende roupas, sapatos, bolsas, acessórios, maquiagem e beleza para mulheres jovens, que interagem criando colagens de fotos dos produtos de que gostam.

O Mogujie, com sede em Hangzhou, atende a públicos jovens no mercado ocidental e foi lançado oficialmente nos EUA e na Europa em 2015. Desde então, o site atraiu 130 milhões de usuários, com oito milhões de usuários diários ativos. Após sua última rodada de financiamento, a empresa foi avaliada em £ 1,27 bilhões, fechando a lista de unicórnios chineses.

E aí? Acha que essas startups chegam aqui no Brasil? Deixa nos comentários sua opinião

Gostou do conteúdo? Quer receber mais análises como essa? Então se inscreva no canal do Cointimes no Youtube e siga o FacebookTwitter e Instagram..

Traduzido para o Cointimes, Publicado Anteriormente no Wired.

 

Cointimes
Cointimes

Cointimes é um portal de conteúdo sobre a nova economia. Um espaço aberto que busca ajudar a mudar a vida das pessoas através do conhecimento sobre blockchain, criptomoedas, educação financeira, investimentos, aplicações descentralizadas e empreendedorismo digital.

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.