Nesta quarta-feira (26) muitos investidores tomaram vantagem da queda de preço do Bitcoin. Sendo assim, a terceira maior baleia agora detém mais Bitcoin que a MicroStrategy. 

Confira no Resumo de Mercado de hoje o movimento do BTC, que continua a ganhar força depois de atingir US$ 33.000 alguns dias atrás. Entre as altcoins, a MATIC tem o melhor desempenho. Veja também que o dólar novamente voltou a se aproximar de R$ 5,40 no Brasil. 

preço do Bitcoin segundo o CoinGOLive
Ranking de Criptomoedas – Fonte: Coingolive.com

Mamífero bitcoiner tem mais satoshis do que a Michael Saylor

Conforme relatado ontem, a criptomoeda com a maior capitalização de mercado disparou e atingiu US$ 37.000. Nas horas seguintes, a criptomoeda retrocedeu em US$ 1.000 antes de atacar novamente. Desta vez, chegou perto de US$ 37.700, onde também está situado agora.

Como tal, sua capitalização de mercado recuperou a marca de US$ 700 bilhões e sua dominância líquida sobre as altcoins aumentou para 77,90%.  

Leia também: 3 sinais para ficar de olho enquanto o Bitcoin se recupera 

Aproveitando a queda no preço, a terceira maior baleia Bitcoin acrescentou mais satoshis ao seu estoque. 

Rastreando o comportamento do mamífero bitcoiner há algum tempo, parece que hoje ela alcançou um marco considerável. A entidade agora detém mais BTC do que a MicroStrategy de Michael Saylor.

No sábado (22), a baleia adicionou 328 BTC no valor de quase US$ 12 milhões. Ontem (25), a entidade também comprou mais 160 BTC, no valor de quase US$ 6 milhões. 

Em comparação, a empresa de capital aberto MicroStrategy tem 124.391 BTC. Isso ficou claro em 30 de dezembro de 2021, quando a empresa revelou que havia comprado mais 1914 BTC. Na época, eles pagaram US$ 94,2 milhões por isso.  

No momento da redação deste artigo, a terceira maior baleia detém 124.485 BTC. Ela tem uma base de custo de cerca de US$ 22.000 por BTC e tem um lucro de cerca de US$ 1,75 bilhão no momento da redação deste artigo.

baleia MicroStrategy
Rastreamento da baleia – Fonte: BitInfocharts

Dólar recua para R$ 5,40

O agastamento do investidor global visto no início da semana deu uma trégua na bolsa brasileira ontem. De olho na rotação de investimentos de países desenvolvidos em direção a economias emergentes, o dólar novamente voltou a se aproximar de R$ 5,40 no Brasil, ao passo que o Ibovespa retomou o patamar dos 110 mil pontos pela primeira vez desde meados de outubro. 

O movimento no pregão de ontem reverteu a piora da véspera, quando temores relacionados a um possível conflito entre Rússia e Ucrânia, de um lado, e a normalização monetária do FED, de outro, pressionaram os ativos de risco.

No mercado de câmbio, o dólar cedeu 1,22%, negociado a R$ 5,43. A queda contra a moeda brasileira foi a mais intensa entre as 33 divisas mais negociadas do mundo. Isso porque a percepção de que as bolsas americanas estavam ‘esticadas’ levou investidores a buscarem ativos emergentes em busca de retornos maiores. 

Além do mais, os desafios macroeconômicos e as incertezas relacionadas às eleições deste ano não têm impedido a entrada de um volume expressivo de recursos de investidores estrangeiros no mercado acionário brasileiro, fato que tem garantido retornos positivos para o Ibovespa em 2022, na contramão dos índices de Nova York.

Após ajustes, o Ibovespa fechou o dia aos 110.204 pontos, alta de 2,10% e maior patamar desde 20 de outubro. No acumulado de janeiro até o dia 21, os investidores estrangeiros já haviam ingressado com R$ 20,05 bilhões em recursos no segmento secundário da B3 – um fluxo mensal mais forte desde janeiro do ano passado, quando as entradas totalizaram R$ 23,6 bilhões.

Neste sentido, o contexto externo, como o processo de aperto monetário do FED e perspectivas mais otimistas para commodities neste início de ano, foram os motivos que ampliaram a demanda global por ativos de países emergentes, impactando o Brasil.

MATIC tem o melhor desempenho

As moedas alternativas também sofreram durante as mais recentes quedas de preços, mas a maioria está atualmente no positivo. 

Ethereum estava perto de quebrar abaixo de US$ 2.000 em um ponto. Agora, porém, a segunda maior criptomoeda está em torno de US$ 2.500 após um aumento diário de 1,86%. Entre as altcoins, a MATIC tem o melhor desempenho, com 8,12% de alta em 24 horas, segundo o CoinGolive.  

O resultado das principais altcoins nas últimas 24 horas é o seguinte: Ethereum (+1,86%), Binance Coin (+2,81%), Cardano (+0,28%), Solana (+2,79%),  Ripple (+3,75%), Terra (-3,81%), Polkadot (+2,28%), Dogecoin (+7,43%), Avalanche (+6,11%), Shiba Inu (+0,58%) e Polygon (+8,12%). 

De acordo com o CoinGoLive, a capitalização de mercado de todos os ativos cripto fica em torno de US$ 1,78 trilhões nesta quarta-feira.


Acompanhe as notícias do mercado cripto no grupo do Telegram do Cointimes (acesse) e tenha um ótimo dia de negociações.

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br