Cointimes
Bitcoin

90% das grandes negociações de bitcoin vêm da China, revela relatório

China Bitcoin

China Bitcoin

Embora o Bitcoin ainda seja oficialmente proibido na China, o país representa a parte mais significativa do volume de negociação de BTC, afirma uma nova pesquisa. Além disso, o continente mais populoso do mundo, a Ásia, ocupa a maior fatia de mercado, atividade de baleias e negócios maiores.

China é gigante no mercado de criptomoedas

O governo da China afirmou repetidamente que o Bitcoin é oficialmente proibido dentro das fronteiras do país. No entanto, o país continua sendo um dos maiores e mais importantes players no desenvolvimento da criptomoeda.

Conforme relatado anteriormente, a China é responsável por mais de 60% da taxa de hash do BTC – o que significa que a maior parte da mineração de bitcoin acontece no país.

A empresa de análise Messari compilou um relatório para colocar essa dominância da China em números. Além do grupo mais substancial de mineradores, a nação mais populosa do planeta tem enormes comunidades de desenvolvimento de cripto e é o lar de “três das maiores bolsas do mundo”.

No entanto, o estudo admitiu que a “narrativa hostil” do governo contra o campo de ativos digitais fez com que os investidores locais mantivessem menos BTC. Em vez disso, eles se concentraram em negociações maiores e mais frequentes.

“Isso não impediu que as bolsas chinesas tivessem uma das maiores fatias de mercado do mundo” em termos de volume de negócios.

“O Leste Asiático (principalmente China) é dominado por negócios maiores, com 90% de todos os volumes acima de US$ 10.000. O Leste Asiático se envolve em mais negociações de curto prazo em uma ampla variedade de ativos, em comparação com a América do Norte, onde o foco é mais em participações de bitcoin de longo prazo.”

Binance, Huobi e OKEx possuem a maior parcela de mercado. Fonte: Messari e CryptoPotato.

É importante notar que as repressões regulatórias na indústria e indivíduos proeminentes continuaram. Surgiram relatórios em 2020 de que o China Merchant Bank havia congelado contas bancárias pertencentes a usuários envolvidos em atividades de criptomoeda.

Além disso, as autoridades teriam levado o fundador da OKEx sob custódia da polícia enquanto investigavam a corretora.

Por outro lado, o país asiático tem aceitado significativamente mais o blockchain – a tecnologia subjacente por trás do bitcoin.

O presidente Xi instou a nação a aumentar os investimentos em tecnologia em 2019, o que resultou em vários novos projetos. Provavelmente, o mais conhecido é o Blockchain Service Network (BSN). O documento destacou que funciona como um “ambiente de desenvolvimento padronizado dentro de uma rede técnica aprovada pelo governo” e já integrou 24 blockchains.

Ásia, a sede dos maiores unicórnios e tokens

O documento de Messari também teve uma abordagem mais ampla para examinar o comportamento de desenvolvedores, investidores e usuários em todo o continente asiático. Além do domínio chinês já mencionado, outros países da região, como Índia, Japão, Hong Kong, Coréia do Sul e Cingapura, ficaram com uma fatia substancial do mercado de criptomoedas.

“Com a Ásia representando 60% da população mundial, as empresas de infraestrutura em todo o mundo estão interessadas em explorar o mercado em crescimento. No final do ano passado, seis dos dez maiores cripto unicórnios do mundo estavam localizados na Ásia.”

O estudo também disse que “dos 20 principais projetos de tokens com sede, 42% da capitalização de mercado está baseada na Ásia”, de acordo com os dados de meados de janeiro de 2021.

Dominância do mercado chinês. Fonte: Messari e CryptoPotato.

As empresas asiáticas também dominam os mercados de futuros. A pesquisa concluiu que essas empresas respondem por 98% dos volumes de negociação de futuros de ETH e 94% de BTC.

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Posts relacionados

Libra do Facebook pode chegar em 2021 uma versão reduzida da ideia original

João Victor
27 de novembro de 2020

Square considera criar carteira física de bitcoin, diz CEO do Twitter

Gustavo Marinho
4 de junho de 2021

Como comprar Bitcoin no Brasil (2021)

Cointimes
30 de maio de 2019
Sair da versão mobile