Cointimes
Blockchain

Agronegócio investe em Blockchain para combater desmatamento

Agronegócio investe em Blockchain

A JBS, grande empresa do agronegócio, iniciou no mês de abril o monitoramento dos seus fornecedores indiretos de gado com Blockchain.

O desafio do agronegócio era acessar os dados de terceiros sobre o fornecimento de bois para a companhia para combater pecuaristas que atuam na ilegalidade e colaboram com o desmatamento. 

Hoje em dia parece que a pauta ambiental tem grande relevância, não é mesmo Elon Musk?

Agro é Pop

Quando estudamos o mercado cripto aqui no Brasil, o ideal é entender a demanda que temos por esse serviço. Fora do núcleo financeiro de São Paulo, as soluções financeiras da Defi, por exemplo, são menos impactantes do que a capacidade que a tecnologia blockchain tem de otimizar o processo logístico do setor que mais contribui com o PIB no Brasil.

Este setor teve crescimento recorde de 24,31% em 2020. Participando de 26,6% do total do PIB do país, segundo Comunicado Técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Não é à toa que os Agroboys fazem tanto sucesso por aí. 

Apesar dos bons resultados obtidos, não podemos esquecer que atualmente, devido à pandemia, as exigências sanitárias tornaram-se prioridade global já que a cadeia de suprimentos da agropecuária também é uma ameaça à saúde dos consumidores. 

Já foram redobrados os esforços no passado durante os casos com a doença da vaca louca e a gripe suína. Qual é a diferença agora? Temos muito mais tecnologia disponível para resolver esses problemas.      

A solução verde

“(O objetivo é) que a cadeia de fornecedores de bovinos da companhia, incluindo os fornecedores, esteja livre de desmatamento ilegal no Bioma Amazônia. O mesmo deve ocorrer nos demais biomas do Brasil até 2030”, como disse a empresa para enfatizar sua recente preocupação com as pautas ambientais. 

Ela fará o monitoramento da cadeia produtiva através da plataforma Pecuária Transparente. Até o fim de 2025, todos os fornecedores de bovinos deverão aderir ao programa. Assim, poderão ser monitorados alguns critérios socioambientais: 

Para dar suporte, a JBS criou também estruturas dentro das suas unidades com o objetivo de prestar consultoria ambiental, jurídica e técnica para regularização ambiental dos seus fornecedores. Os chamados “Escritórios Verdes” servirão como apoio ao agronegócio pelo Brasil.  

O patrimônio nacional

No anúncio do investimento em Blockchain pela JBS não há informações do valor para implementação do sistema. Entretanto, ele não deve ter sido um peso muito grande para a empresa que divulgou seus resultados financeiros do primeiro trimestre de 2021. 

A companhia reportou um lucro líquido de R$ 2 bilhões no primeiro trimestre, já sinalizando um dividendo superior de R$ 3 bilhões em 2022, novo recorde. Sua receita líquida teve 33,2% de aumento em relação ao primeiro trimestre de 2020.  

O que importa, de início, é a visibilidade que isso trás para implementação da Blockchain no mundo corporativo. Temos esperança de que a JBS alcance todos os objetivos ambientais propostos, assim como outras empresas do setor de agronegócio também, já que a Blockchain realmente é uma ferramenta muito eficiente para tal.

Posts relacionados

Um dia após a invasão da Rússia à Ucrânia, o Bitcoin decola e o ouro cai

Gustavo Marinho
25 de fevereiro de 2022

Dubai lançará zona com imposto zero para empresas de criptomoedas

Cointimes
31 de janeiro de 2020

Inicia atividades no Brasil de banco digital que acaba de confirmar saída do mercado americano

Bruno Haacke
18 de novembro de 2021
Sair da versão mobile