ethereum

Ethereum: uma análise completa

Se interessou por Ethereum? Ela é uma das criptomoedas mais utilizadas no mercado. Sua tecnologia fascinante permite a criação de contratos inteligentes e aplicativos descentralizados. Que tal conhecer mais? Veja nosso texto e nosso podcast:

Qual o valor do Ethereum?

Abaixo você pode ver o preço do Ethereum cotado em Real.

Como conseguir Ethereum?

Existem duas maneiras de conseguir Ethereum: comprando ou minerando. A maneira mais fácil de adquirir a moeda é através da compra direta em sites que oferecem a opção, esses sites são corretoras como a Foxbit, por exemplo.

A outra maneira, a mais difícil, é através da mineração. Você precisa comprar placas de vídeo e fazer um altíssimo investimento até ver resultado. Não vale a pena minerar no Brasil.

Onde comprar Ethereum?

Até pouco tempo atrás, nenhuma corretora brasileira negociava Ethereum, o que tornava mais difícil sua aquisição. A Foxbit é uma das corretoras brasileiras que oferece negociação de Ethereum em sua plataforma.

Qual a melhor carteira de Ethereum?

Vamos separar as melhores opção de carteiras de Ethereum, vamos separar em três opções: carteiras para Windows, mobile e carteira física.

Em carteiras para Windows recomendamos a Exodus, Metamask e a MyEtherWallet. Não se esqueça de fazer todos os backups: anotar senhas, palavras-chave. Deixe tudo registrado para conseguir acessar seu saldo em caso de problema com dispositivo.

Para mobile (iOS e Android), recomendamos a Coinomi, que suporta várias criptomoedas ao mesmo tempo. Ela é suportada no Android e no iOS, então você pode usá-la para várias moedas, além do Ethereum.

As carteiras físicas recomendadas são: Ledger Nano S e Trezor, que são as opções mais baratas e seguras, vendidas na KriptoBR. Com uma carteira física você garante uma melhor segurança do que as carteiras virtuais. O único ponto negativo é o investimento, mas ainda assim, vale a pena.

O que é Ethereum? Como funciona?

Ethereum é uma plataforma que permite a programação de aplicativos descentralizados, contratos inteligentes e transações da criptomoeda Ether. Tudo isso baseado na tecnologia de Blockchain, que surgiu juntamente com o Bitcoin.

Em razão disso, muitos consideram o Ethereum uma evolução no conceito da tecnologia da Blockchain. A tecnologia pode ser utilizada para armazenar informações além de contagem de entradas e saídas de moeda. 

O Ethereum é visto como uma forma de blockchain no qual é possível programar. Ele permite que os usuários criem suas próprias aplicações descentralizadas que variam em nível de complexidade.

A criptomoeda Ether foi imaginada pelo programador canadense Vitalik Buterin em 2013. Foi feito um ICO com o objetivo de arrecadar fundos para desenvolvimento do projeto em 2014. A plataforma entrou online no dia 30 de julho de 2015 com 11.9 milhões de Ethers pré-mineradas do ICO.

Desde então, a plataforma vem ganhando cada vez mais adoção entre pesquisadores, empreendedores e programadores que desejam criar soluções reais utilizando Blockchain.

Como minerar Ethereum?

É possível minerar Ethereum com placas de vídeo comuns. No entanto, essas placas precisam ser potentes, tais como Nvidia GTX 1080 ou AMD RX 580 8gb. Além disso, apenas uma não basta, é preciso ter pelo menos 3 ou 4 delas para poder minerar com eficiência.

Depois de montar uma rig de mieneração, você vai precisar montar um espaço refrigerado para dar mais durabilidade aos componentes e instalar um software de mineração em seu computador. O custo de uma RIG de mineração é estimado entre R$10000 e R$20000.

No exemplo acima, fizemos uma simulação levando em conta o poder de 4 placas RX 580 minerando Ethereum ao mesmo tempo. Descontando o custo de energia, você teria um lucro de 0,14 centavos de dólar por dia.

É um péssimo investimento considerando só o custo das placas de vídeo: R$5.000. Fora os outros fatores: case de mineração, placa-mãe, processador, cabo ryzen, hd, manutenção, ar-condicionado e outros gastos.

Para minerar Ethereum você deve baixar um software de mineração e colocá-lo para rodar no seu computador.

Ethereum Virtual Machine

A Máquina Virtual Ethereum (EVM) é um grande compoutador mundial da rede Ethereum, que todos os nós completos da rede Ethereum concordam em executar. Quando há código/dados no blockchain, é necessário um consenso para concordar sobre o que esse código faz.

Todos concordam em como o EVM deve se comportar, e todos têm os mesmos dados no blockchain, então todos computarão as mesmas respostas. A partir dessa perspectiva, parece que um único computador do mundo leva a essa descrição.

Nem todos os nós de rede executam a execução de código. Existem diferentes nós e clientes, como aqueles em dispositivos móveis ou dispositivos com menos recursos, que não executam toda a execução do código. No entanto, isso significa que clientes leves precisam confiar em algum serviço e são um pouco mais vulneráveis ​​a serem enganados.

Todos os nós completos executam a execução do código para sua própria segurança. Ao fazer isso, nós completos podem verificar o resultado da computação por conta própria, e eles não confiam em algum serviço.

Contratos inteligentes

Na plataforma do Ethereum é possível programar contratos inteligentes que serão executados automaticamente. Com o uso da Blockchain, podemos assegurar que estes contratos serão altamente resistentes a qualquer tipo de censura, fraude ou quaisquer modificações em seus termos. Porque os outros computadores da rede estarão auditando e assegurando a legitimidade das informações do contrato.

O Ethereum permite que duas pessoas desconhecidas façam negócios entre si com maior nível de confiança, sem a necessidade de um intermediário ou autoridade central. Agora você não precisa mais registrar um contrato no cartório e arcar com custos bem altos.

Ao invés disso, os termos e condições podem ser programados em um contrato inteligente. Sendo cumpridos os termos, o contrato será executado sozinho, ou seja, sem interferência humana ou de terceiros, diminuindo os custos em uma negociação.

contratos inteligentes ethereum

Aplicações descentralizadas (DAPPs)

É possível programar aplicações que funcionam de forma descentralizada utilizando a EVM. Isto é, o código destas aplicações é aberto e a database é distribuída na rede. O que oferece um nível maior de confiança quanto à execução destes aplicativos.

Uma vez que quaisquer mudanças em seus códigos deve respeitar o consenso estabelecido no Blockchain do Ethereum, os aplicativos se tornam mais resilientes a fraudes, modificações e censuras.

Atualmente há aplicativos sendo desenvolvidos de maneira efetiva utilizando a plataforma da Ethereum. Um dos mais notórios é o Brave, que é um navegador o qual é mantido de maneira descentralizada. 

A Steemit, por exemplo, é um DAPP que consiste em uma rede social descentralizada de código aberto. Ela remunera usuários com Steem, um token que permite a monetização dos conteúdos postados nesta rede social.

dapps ethereum

Segurança

Um dos maiores problemas econômicos é a falta de confiança e informação. Este problema aumenta os custos na prestação de serviços, porque é necessário que tenha uma terceira parte para garantir a confiança do negócio, isso aumenta os custos de transações entre empresas e pessoas.

Para solucionar isso, podemos utilizar o Ethereum para garantir que este acordo seja executado de forma confiável e não depende de terceiros. Quando as informações são registradas na Blockchain, elas se tornam praticamente impossíveis de fraudar, censurar ou modificar. Porque seria necessário um grande poder computacional para executar um ataque, o que seria inviável economicamente.

Casos de uso

O uso de Ethereum pode se tornar extremamente amplo para setores da economia que dependem principalmente da confiança entre duas partes. É possível utilizar a plataforma para desenvolver um software que pode fazer:

  • Registro de documentos, acordos, contratos (alternativa aos cartórios)
  • Rastreamento de produtos em cadeia de suprimentos
  • Contratos inteligentes que se autoexecutam
  • Arbitragem (tribunais baseados em blockchain)
  • Sistemas eleitorais (Apesar de haver divergências sobre a eficiência deste sistema)
  • Soluções para qualquer tipo de relação que dependa de terceiros
casos de uso ethereum

Oferta de Ethereum

O Ethereum não possui oferta monetária limitada. Atualmente existem quase 100 milhões de Ethers já emitidos. Sua proposta não é ser uma criptomoeda altamente escassa para conservar valor como o Bitcoin.

O seu objetivo é se tornar uma plataforma que torne possível a aplicação de Blockchain no uso de contratos inteligentes e aplicações descentralizadas. No entanto, a criação de Ethereum ocorre a uma taxa estável, a dificuldade de mineração também aumenta conforme o poder computacional oferecido pelos mineradores da rede.

oferta ethereum

A rede

Existiam até o momento em que este artigo foi escrito cerca de 16462 computadores conectados na rede do Ethereum que detém uma cópia do Blockchain, também conhecidos como nós de rede. Seguindo a tendência do Bitcoin, os nós estão concentrados nos Estados Unidos, China e Europa.

Também há um grande número de nós na Coréia do Sul. Coincidentemente são países que mais fazem o uso do Ethereum para o desenvolvimento de aplicações.


Endereços ativos

Observando o número de endereços ativos de Ethereum podemos conferir o crescimento extraordinário da criptomoeda a partir de dezembro de 2017. Atualmente existem cerca de 515 mil endereços ativos que estão realizando algum tipo de transação. Em Novembro de 2017 o Ethereum chegou a processar mais transações do que o Bitcoin.

endereços ativos ethereum

Concorrência

Atualmente o Ethereum encara a concorrência de outros projetos que apresentam propostas semelhantes. No entanto, é necessário que sejam feitos maiores estudos para se apontar a correlação entre ambos ativos, para que se apure como os ativos estão se comportando em um cenário de suposta competição. Os projetos são:

  1. EOS
  1. Cardano
  2. NEO

Comunidade e perspectivas futuras

O que se observa aqui no Brasil é uma comunidade que ainda está muito engajada em torno da mineração de Ethereum, que é mais acessível em relação à do Bitcoin. Há meetups voltados para programadores e iniciantes, buscando entender os casos de uso efetivos do Ethereum e o desenvolvimento de aplicações, sendo a maioria destes eventos em São Paulo.

A mudança do consenso de rede (migração de PoW para PoS) está prevista, avaliações já estão sendo executadas na rede de teste da plataforma. A implementação do Proof of Stake busca solucionar o problema do aumento de energia que é gasta para a mineração de criptomoedas. A mudança é um grande tópico de debates na comunidade, nem todos os usuários concordam com ela.

Em síntese, plataforma do Ethereum está bem encaminhada, além disso, sua adoção está aumentando com o passar do tempo. O seu sucesso vai depender da capacidade da execução dos projetos baseados na tecnologia proposta pela plataforma. 

Este tipo de conteúdo é relevante para você ou alguma pessoa que você conhece? Se for, siga e compartilhe a página do Cointimes e se mantenha sempre atualizado no mercado – FacebookTwitterInstagram.

Sobre o criador de conteúdo

Economista em formação, escritor por vocação. Gosto de fazer investimentos, penso a longo prazo, mas não abro mão de fazer alguns trades. Trabalhei como Community Manager por 1 ano, representando a Foxbit e estou no mercado de criptomoedas desde 2016, mais especialmente no Bitcoin.

Postar um comentário

You don't have permission to register