Segundo o portal AsiaTimes os governos do Afeganistão e da Tunísia estão caminhando para a primeira emissão de títulos de dívida estatal baseado em bitcoin.

Em evento para o World Bank Group realizado em Washington, o chefe do Banco Central do Afeganistão, Khalil Sediq, disse que está seriamente considerando criar um título de dívida que usa a tecnologia do blockchain como um instrumento para levantar 5.8 bilhões de dólares.

Os valores levantados seriam usados para investimentos nos setores de mineração, energia e agricultura. Sediq disse também que o Bitcoin pode ser comparado futuramente a uma forma de metal, tal qual lithium – mineral que o país tem mais de 3 trilhões de dólares em reservas.

Já o presidente do Banco Central da Tunísia, Marouane El Abassi, disse que foi criado um grupo de estudos em países do Norte da África que considera seriamente a criação de títulos de dívidas usando Bitcoin.

Abassi adicionou que o Bitcoin e o blockchain oferecem uma maneira eficiente de combater a lavagem de dinheiro, terrorismo e limitar a economia informal.

A diretora do FMI (Fundo Monetário Internacional) Christine Lagarde, falou no mesmo evento sobre os títulos de dívida em bitcoin. Em seu discurso ela ressaltou as mudanças no sistema financeiro global e disse que o uso do blockchain para emitir dívidas é possível, mas deve ser feito com cautela usando um ambiente em “sandbox” e supervisionado.

O Bitcoin está se tornando uma moeda com cada vez mais protagonismo, em uma época em que a influência norte-americano está se deteriorando, o dólar e o euro se enfraquecem. Esse cenário abre as portas para uma terceira moeda, sem donos e com política monetária previsível – o Bitcoin. Claro, estamos longe de uma adoção em massa, mas o uso de bitcoin na emissão de títulos é um grande passo para reconhecê-la como reserva mundial.

Fonte – AsiaTimes