Segundo a Reuters, a China pretende eliminar a mineração de bitcoins no país. Se isso realmente acontecer a segurança da rede poder ser posta em perigo, mas grandes oportunidades podem surgir.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) disse nessa segunda que está aguardando opiniões sobre um lista de indústrias que ela gostaria de encorajar, restringir ou eliminar. A lista foi primeiramente publicada em 2011 e revisada nesse ano.

O rascunho com a revisão adicionou mineração de criptomoedas e mais outras 450 atividades. O NDRC se diz preocupado com o meio ambiente e desperdício de energia, mas nós sabemos que a intenção do governo chinês é outra.

O que os chineses querem?

Assim como aconteceu com a internet, o governo chinês quer dar um “reset” no mercado de criptomoedas do país. Beijin se sente incomodada com qualquer indústria que possa desafiar seu poder, é por isso que o governo chinês começou a caça aos usuários de bitcoin em 2017.

Na época diversas exchanges foram fechadas, o bitcoin e outras criptomoedas foram banidas do país. Mas a verdade é que a negociação ainda continua, mas de forma informal.

Sabemos que o governo chinês tem a maior quantidade de produtos e pesquisas na área de blockchain. De fato, um Bitcoin chinês é o que o governo realmente quer.

Se a medida for adotada poderemos ver o surgimento de competidores chineses para o Bitcoin e um grande problema para a moeda de Satoshi Nakamoto, mas não por esses competidores.

Maior mercado de mineração

Falo isso pois a China é o maior mercado de mineração do mundo, tanto na área de criação de chips, como também em mineração em si. Segundo um estudo feito pela Universidade de Princeton em conjunto com a Universidade Internacional da Flórida, cerca de 74% do poder de mineração do bitcoin reside na China.

E o que isso significa? Significa que os chineses têm o controle da segurança do Bitcoin, uma queda de 74% do hash rate poderia significar a abertura para ataques de 51% muito mais facilmente.

Segundo o site Crypto 51, seria necessário ~500 mil dólares para tentarem realizar um ataque de 51% na rede do Bitcoin, com a queda do hash rate esse valor cairia absurdamente.

Além disso a rede poderia ficar lenta por praticamente duas semanas, até o reajuste de dificuldade, que ocorre a cada 2016 blocos.

Apesar dos pontos negativos, muitos olham esse possível banimento como uma ótima oportunidade, tanto para outros mineradores e até mesmo para o Bitcoin.

Grandes oportunidades

Quando falamos que a maior parte da mineração de criptomoedas está concentrada na China, muitos entusiastas da criptomoeda ficam de cabelo em pé. A descentralização do bitcoin é um pilar fundamental para o seu valor de mercado, com a saída da China poderemos ver o surgimento de outros atores nesse mercado.

Tudo isso poderia significar uma grande oportunidade para o Bitcoin como protocolo, estamos falando aqui de mais descentralização e a longo prazo maior segurança na rede.

Qual sua opinião sobre o banimento da mineração de bitcoins e outras criptomoedas na China?

Para saber mais sobre mineração de criptomoedas ouça nosso podcast:

https://cointimes.com.br/podcasts/conexao-satoshi-02-o-jogo-da-mineracao-de-bitcoin/

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br