Cointimes
Bitcoin

Bitcoin é mais fácil de investigar que dinheiro ou transferências bancárias, diz promotora de justiça

Bitcoin promotora do Silk Road

O Bitcoin ficou famoso na mídia por ser o “dinheiro da deepweb”, uma moeda obscura e difícil de rastrear. Certo?

Nada mais longe da verdade, o governo ama investigar casos com Bitcoin, pelo menos é o que afirma a Promotora de Justiça do caso Silk Road.


++ Monero é mais perigoso que Bitcoin, diz Ministério das Finanças Alemão
++ Desenvolvedor conta interações estranhas com Satoshi Nakamoto
++ Mastering Monero vende mais de 1000 cópias em poucos meses


Kathryn Haun é uma ex-promotora dos Estados Unidos que participou ativamente na prisão de Ross Ulbrich – o criador do mercado negro Silk Road.

O Silk Road foi talvez um dos primeiros mercados a aceitar bitcoin como meio de pagamento. Naquela época (2013/2014), era difundido o mito de que o Bitcoin era uma moeda anônima e extremamente privada.

“Bitcoin está longe de ser anônimo.. falando como uma investigadora e promotora de justiça, nós na verdade amamos casos que envolvem Bitcoin. Até mesmo mais do que dinheiro em espécie e algumas vezes ainda mais do que transferências bancárias“, disse Haun.

Ela completou:

“Pois na verdade o Bitcoin é altamente rastreável”

Na entrevista de quase 1 hora, a promotora revelou detalhes de como a operação contra o Silk Road aconteceu e qual a foi a importância do Blockchain do Bitcoin para levar os criminosos para cadeia.

De fato, o Bitcoin realmente não é a melhor moeda para os criminosos. Todas as transações no blockchain são públicas e podem servir como prova eterna. O dólar continua sendo a moeda padrão para negócios escusos.

Assista a entrevista completa (em inglês):

Posts relacionados

Bitcoin se torna 8º maior ativo do mundo

Cláudio Brito
15 de outubro de 2021

Ponzi da China pode ser responsável pela queda no preço do Bitcoin

Neto Guaraci
17 de dezembro de 2019

‘Não é um momento para comprar bitcoin’ no curto prazo, diz analista

Tasso Lago
30 de julho de 2019
Sair da versão mobile