Cointimes
Análise Técnica - Preço do bitcoin

Bitcoins intocados há um ano representam sinal de alta? Veja análise on-chain

Análise do Bitcoin

Análise do Bitcoin. Foto: Unsplash

O analista on-chain de Bitcoin Will Clemente (605 mil seguidores) diz que alguns fatores fundamentais de alta estão se desenvolvendo nos bastidores do BTC.

O popular analista compartilhou dados da Glassnode com seus seguidores no Twitter, mostrando que a maior parte da oferta do Bitcoin permaneceu intocada por pelo menos um ano, muito perto de um recorde histórico para essa métrica.

“63,15% da oferta de Bitcoin não se mexe há pelo menos 1 ano. Isso é apenas 0,3% de uma alta de todos os tempos.”

Oferta que não é movida a pelo menos 1 ano. Fonte: Glassnode e Will Clemente.

No último boletim informativo da Blockware Intelligence, Clemente diz que uma das principais forças que alimentam o acúmulo de Bitcoin é a iniciativa da Luna Foundation Guard (LFG) de adquirir bilhões de dólares da principal criptomoeda para criar uma reserva de stablecoin apoiada pelo BTC.

“Além da correlação com o risco das ações, outro fator de entrada de capital foi o Luna Foundation Guard acumulando uma reserva de Bitcoin; tanto diretamente, quanto por meio do impulso narrativo geral e de vanguarda. O LFG agora detém 30.727 BTC, cerca de US$ 1,5 bilhão a preços atuais de mercado.”

O analista diz que os detentores de curto prazo (Short term holders – STHs), ou investidores que mantiveram seus BTC por menos de 155 dias, estão quase de volta ao lucro, em média.

Ele acrescenta que o impulso de alta pode ser confirmado se o preço passar mais tempo acima do preço médio realizado pelo detentor de curto prazo, que é de cerca de US$ 46.000.

“Por enquanto, o Bitcoin está de volta acima do preço realizado pelo detentor de curto prazo, um nível psicológico sobre o qual falamos várias vezes. Gostaria de ver mais de um fechamento diário acima disso para me sentir confiante na continuação do impulso.”

Preço realizado do holder de curto prazo. Fonte: Glassnode e Blockware Solutions.

Clemente também aponta que grande parte do mercado de derivativos de Bitcoin tende a ser garantido com stablecoins em vez de cripto, o que, segundo ele, pode evitar movimentos voláteis repentinos para o lado negativo, já que os traders estão utilizando garantias mais estáveis em comparação com o BTC.

“Uma mudança macro que é notável no mercado de derivativos de Bitcoin são as porcentagens de futuros em aberto garantidos com criptomoeda versus stablecoins. Isso cria um cenário mais saudável para o mercado. Por quê? Quando os longs são garantidos pelo BTC, eles têm uma convexidade negativa; ou seja, à medida que o preço vai contra eles, não apenas seu PnL (Profit and losses – lucros e perdas) diminui, mas também o valor de suas garantias. Com stablecoins como garantia, esse efeito não existe mais.”

Porcentagem de interesse em aberto colateralizado em cripto. Fonte: Glassnode e Blockware Solutions

No momento da redação deste artigo, o bitcoin está trocando de mãos por US$ 45.415, segundo o Coingolive, abaixo dos US$ 46.000 que seria o ideal para mais uma pernada de alta, de acordo com o analista.

Leia mais:

Posts relacionados

“Pix do Bitcoin” começará a usar endereços de sites para pagamentos

Gustavo Marinho
25 de abril de 2022

Bo Williams afirma que, mesmo com alta recente, criptomoeda ainda pode subir 35%

Cláudio Brito
20 de agosto de 2021

Bitcoin: Fundamentos on-chain perdem força, é para se preocupar?

Cointimes
10 de agosto de 2020
Sair da versão mobile