• Saiba não somente as carteiras recomendadas, mas também carteiras que você deveria evitar;
  • Entenda quais as características essenciais de uma boa carteira de bitcoin e/ou altcoins.

Eu já consultei diversas listas de carteiras de criptomoedas recomendadas, mas com o tempo, experiência e novas informações, fui filtrando cada vez mais as carteiras que utilizo e sugiro que amigos utilizem.

Por isso, acredito que é válido tomar uma direção diferente do comum e criar uma lista de carteiras de bitcoin e outras criptomoedas que você deveria evitar. A minha sugestão é que você utilize os argumentos apresentados aqui para filtrar todas as possibilidades futuras de carteiras que sejam apresentadas a você, independente de estarem listadas aqui ou não.

Ao final do texto, apresento a minha recomendação de características para uma carteira ideal e algumas que chegam pelo menos próximas a isso.

A sua carteira preferida é confiável?

Eu sempre gostei da Mycelium, um software de carteira para celular super simples e intuitivo. Ela vai estar presente na maioria das recomendações de carteiras que você vai encontrar por aí, eu mesmo já introduzi alguns novatos ao Bitcoin com ela.

Me doeu descobrir apenas recentemente que os desenvolvedores por trás da carteira conseguiram levantar 5000 BTC dos usuários em 2016, o equivalente a R$1 bilhão a preços de hoje, e não entregaram o prometido.

O NewsBTC cobriu essa história há 5 anos, explicando a falta de entrega e as preocupações dos investidores. Os críticos mais incisivos chamaram a jogada de um exit scam.

Em junho de 2017 um dos devs de back end da carteira Mycelium abandonou o projeto e acusou os outros membros de utilizarem parte do dinheiro para fazer uma viagem para a Espanha.

Rassah, um dos desenvolvedores do time, justificou que a viagem era uma reunião da empresa, conforme captura de tela do telegram mostrou em um tweet (abaixo). Na publicação de 2017, um usuário lesado diz: “Sobre a situação da Mycelium, eu me ferrei lindamente nessa, é totalmente um golpe mas eles continuam negando.”

Em um triste tweet de janeiro de 2018, outro investidor lesado diz que deu 2 BTC para o projeto pois eles tinham ganhado a sua confiança ao criar um produto que ele usou por muito tempo. “Continuo muito decepcionado com eles; mas no final do dia perder US$ 800 dificilmente é meu pior erro financeiro.”, conclui ele.

Mas, como sabemos hoje do quanto o bitcoin valorizou desde essa época, o seu investimento na Mycelium poderia muito bem ter virado R$ 450.000 se estivessem guardados em uma boa carteira.

Os desenvolvedores da sua carteira são minimamente competentes?

Em 2017 ocorreu um acidente na carteira de Ethereum chamada de Parity. Os desenvolvedores cometeram um erro que permitiu que um usuário, sem querer, desencadeasse um bug que congelou US$ 280 milhões em ethers (ETH) de outros usuários.

“Ops!”

A vulnerabilidade, conforme publicação da própria Parity Wallet, permitiu que os usuários alterassem o código e se tornassem proprietários de carteiras que não pertenciam a eles.

Além disso, por causa da natureza multi-assinatura da carteira, o erro de um usuário comum que deletou sem querer o código da carteira deixou os fundos de todos os outros presos. A bizarra história foi coberta pela CNBC.

Os seus bitcoins são seus? Mesmo?

Eu particularmente não tenho muitas críticas às soluções custodiantes, acho que sempre haverá espaço para elas até mesmo no mundo das criptomoedas.

No entanto, quando estamos falando de cripto, onde a motivação inicial é a busca por descentralização e soberania sobre o próprio dinheiro, é muito importante que todas as informações estejam transparentes.

Para não haver mal-entendidos, quero deixar claro que os desenvolvedores das próximas carteiras a serem citadas neste artigo não são o alvo da minha crítica, mas sim os entusiastas que omitem essa importante informação.

Wallet of Satoshi, a carteira de Lightning da BlueWallet (em configuração padrão), Strike, Bitfy, Mercado Pago, 99Pay, Xapo, Zebedee, Coinpayments, CashApp, e todas as “carteiras de exchanges”, como alguns chamam, são soluções custodiantes.

Isso significa que você não é, a nível de protocolo, o verdadeiro dono das moedas, o serviço apenas deixa você utilizar e tenta melhorar a sua experiência. Porém, isso vem com riscos.

Acha que eu estou exagerando ao dizer que entusiastas promovem carteiras custodiais como se não fossem? Veja o vídeo abaixo e depois comente neste post, o que há de impressionante em não pagar taxas se a solução é custodiante?

Faço das palavras do BitcoinQ+A as minhas:

“Eu realmente adoro assistir a vídeos com bitcoin sendo usado para pagamentos ao vivo, mas realmente estraga o prazer disso quando 99% desses vídeos mostram pessoas usando soluções de custódia na Lightning.”

Então qual a carteira ideal?

Não precisa ir muito longe para saber quais carteiras são realmente boas. Basta que cumpram alguns requisitos básicos de segurança e experiência de usuário, na minha opinião.

  • Controle dos fundos: Prefira carteiras que oferecem controle total sobre sua chave privada. Isso significa que nenhum terceiro pode congelar ou roubar seus fundos. No entanto, você se torna o único responsável por fazer backup de sua carteira e proteger essa informação (geralmente são 12 palavras-chave, basta guardar de forma offline).
  • Código aberto: É extremamente importante que o código da carteira seja aberto e reproduzível, de preferência gratuito para ser utilizado por outros softwares livres (FOSS), isso aumenta a quantidade de olhos em cima daquele código, garantindo que tudo está dentro dos conformes.
  • Controle sobre as taxas: Essa característica é especialmente válida se estamos falando de criptomoedas que enfrentam congestionamento de rede como Bitcoin e Ethereum, é uma péssima experiência chegar na hora de fazer uma transação e simplesmente ter que aceitar uma sugestão de taxa escolhida pela própria carteira.

Quais carteiras se encaixam nos padrões de “carteira ideal”? Se você utiliza computador, seja Windows ou Mac:

  • Bitcoin Core;
  • Electrum.

Caso prefira uma carteira de celular e seja usuário de iPhone (iOS):

  • BlueWallet (a parte on-chain da carteira é não custodiante);
  • Green: Bitcoin Wallet.

Para Android:

  • BlueWallet;
  • Bitcoin Wallet.

E, se você quer ainda mais segurança e tiver disposto a investir em um hardware específico para guardar suas criptomoedas, pode considerar uma Trezor.

Trezor
Trezor

Mas qual a sua opinião sobre carteiras de bitcoin e quais devemos evitar? Deixe um comentário abaixo e me siga no Twitter e Instagram.

A NovaDAX está cheia de novidades!

Uma das maiores corretoras de criptoativos do Brasil agora ZEROU as taxas para saque em real!

A NovaDAX também conta taxa zero para transações de Bitcoin e mais de 110 moedas listadas, com saque disponível na hora e alta liquidez. 

As criptomoedas com as melhores taxas do mercado! Basta ativar o programa gratuito Novawards e aproveitar taxas reduzidas em até 75%.

Conheça ainda o Cartão NovaDAX e peça já o seu.