Cointimes
Patrocinado

Como aproveitar a queda do dólar para diversificar seus investimentos em cripto?

Dólar digital e cripto

Stablecoin Tether (USDT) é a opção mais prática para dolarizar patrimônio, conforme indicam especialistas

O fraco desempenho do Real (BRL) frente às moedas globais, ao longo dos últimos meses, acendeu um sinal de alerta dos investidores para a importância de manter ativos atrelados a moedas emitidas por economias resilientes e já estabelecidas, como é o caso do dólar (USD). 

Em 2020, a moeda brasileira teve o segundo pior desempenho entre todas as unidades monetárias do mundo, caindo cerca de 29% se comparado ao par americano. Neste ano, após atingir a máxima histórica de R$ 5,88, em março, o USD vem caindo gradativamente com a recuperação da economia brasileira e a consequente valorização do Real frente ao dólar. 

O cenário abre uma janela de oportunidade para a “dolarização do patrimônio”, movimento recomendado por gestores de portfólio e especialistas em finanças para a diversificação da carteira, uma das premissas nos investimentos.

Por muito tempo, a opção para esse mecanismo de blindagem patrimonial se restringiu à compra do dólar em papel moeda, nas casas de câmbio, e a aquisição de ativos em bolsa de valores (mercado futuro; fundos cambiais; ETF). O surgimento das stablecoins, criptoativos lastreados em moedas fiduciárias, facilitou o processo de diversificação dos investimentos. 

Atualmente a opção mais prática para exposição do patrimônio à moeda americana é a aquisição de stablecoins. “O dólar está no menor patamar dos últimos meses, o que, na nossa visão, representa um excelente ponto de entrada para os investidores que ainda não têm patrimônio atrelado à moeda mais forte do mundo”, aponta o economista e CEO da Coinext, José Artur Ribeiro.

Entre essa classe de criptomoedas, a Tether (USDT) é a que tem maior adoção e capitalização de mercado. Ela foi projetada para manter a proporção de 1 por 1 em relação ao USD. Ou seja, por ser colateralizada uma unidade de USDT sempre vai equivaler a um dólar. 

Por que diversificar em dólar?

O desempenho do PIB do Brasil, divulgado no início de junho de 2021, animou os especialistas para uma recuperação mais forte da economia. Entretanto, há questões importantes que podem desestabilizar o real no segundo semestre, entre elas a lentidão na vacinação da população adulta e a falta de avanços nas reformas prometidas pelo governo. 

O investidor deve aproveitar as oportunidades de entrada em momentos favoráveis ao câmbio brasileiro para diversificar o patrimônio. “Os investidores estão mais propensos a se expor ao dólar. Por ser uma stablecoin e ter menor oscilação se comparado ao Bitcoin, por exemplo, a Tether é uma ótima opção dos investidores para fazer reserva de valor”, avalia o CEO da Coinext.

Comece a investir

Entre as exchanges do Brasil, a Coinext é uma das poucas que oferecem aos investidores a possibilidade de comprar a USDT, stablecoin mais confiável entre todas as criptomoedas e que está no TOP 3 em capitalização de mercado, de acordo com o site CoinMarketCap.

Clique aqui e abra sua conta gratuita na Coinext e comece a negociar a Tether e outras 10 criptomoedas.

Sobre a Coinext

Em 2021, a Coinext foi premiada pelo Cointimes Awards como “Melhor Exchange Brasileira e com a melhor Experiência do Usuário (UX)” e foi finalista na categoria “Melhor Exchange do Brasil”. A exchange também é a única do Brasil a obter a certificação Great Place to Work®.

Atualmente, o investidor pode negociar 11 moedas na plataforma: Bitcoin (BTC); Ethereum (ETH); Litecoin (LTC); Ripple (XRP); Bitcoin Cash (BCH); Tether (USDT); Cardano (ADA); Chainlink (LINK); Dogecoin (DOGE); Stellar (XLM); EOS.

Sair da versão mobile