Enquanto os investidores brasileiros estão preocupados se o Ibovespa sobe ou cai amanhã, bilionários como Elon Musk e Ricardo Salinas estão impulsionando seus ganhos em uma espécie de “segunda bolsa de valores”.

“A Segunda Bolsa é uma máquina de fazer milionários. Investir somente na Bolsa de Valores tradicional é como se alimentar de migalhas enquanto um verdadeiro banquete é servido ao seu lado. Quem perceber isso cedo o suficiente vai mudar de vida.”, disse André Franco, analista financeiro da Empiricus.

Diferente do mercado tradicional de ações e fundos de investimentos, essa “Segunda Bolsa” é aberta 24 horas por dia e não possui interrupções artificiais como circuit breakers. Além disso, é um verdadeiro experimento de livre mercado de moedas privadas, como propôs o economista Friedrich Hayek.

Claro, a bolsa de valores tradicional continua tendo o seu valor. Se você já separou uma reserva de emergência e começou a investir em ações para gerar renda passiva, está no caminho certo financeiramente. Mas sem um pé nesse novo mercado, você está deixando oportunidades valiosas passarem.

Diferenciais da Segunda Bolsa

Como você já deve ter percebido, estou me referindo ao mercado de criptomoedas. Onde a descentralização é a principal característica de referência. Com moedas descentralizadas como o Bitcoin, não existe a necessidade de confiar em alguém a custódia dos seus ativos.

A tecnologia Blockchain, por trás das principais criptomoedas do mercado, é atualmente vista como uma das tecnologias mais promissoras do momento. Amazon, Itaú, BMW Group e Starbucks são apenas alguns exemplos de empresas que estão estudando a sua aplicação para diferentes setores de sua indústria.

Por conta das suas características disruptivas e enorme potencial, os criptoativos vêm enxergando valorização muito acima da bolsa de valores. Nos últimos 5 anos, o Bitcoin obteve um desempenho cerca de 10.000% superior aos principais índices de ações do exterior.

Cotação do Bitcoin em laranja e dos índices Dow Jones e S&P500 em azul desde 2016 até hoje (9/2/21).
Cotação do Bitcoin em laranja e dos índices Dow Jones e S&P500 em azul desde 2016 até hoje (9/2/21). Fonte: TradingView.

E por incrível que pareça, mesmo nesse cenário, grandes analistas como Mike McGlone, responsável pelos relatórios sobre commodities da Bloomberg Intelligence, afirmam que o Bitcoin está menos arriscado do que o índice Dow Jones.

É o que vem percebendo os CEOs de grandes empresas, que estão alocando partes significativas dos seus balanços em bitcoin. A Tesla Motors, liderada por Elon Musk, investiu US$ 1,5 bilhão, cerca de 10% do tesouro da companhia na criptomoeda, e afirmou estar estudando aceitá-la como forma de pagamento. Agora, os acionistas da empresa de Musk têm uma exposição indireta ao ativo digital.

Essa espécie de união entre a primeira e a segunda bolsa vem acontecendo de forma acelerada desde 2020, quando a MicroStrategy e a Square mudaram suas políticas de tesouro, adicionando criptomoeda aos seus balanços.

Mas enquanto o Bitcoin foi o primeiro ativo digital escasso do mundo, essencialmente resolvendo o problema do gasto duplo, vale lembrar que ele não é o único a ganhar espaço na segunda bolsa.

Esse mercado é formado por diferentes ideias e soluções propostas por desenvolvedores bem capacitados. Mas pela sua característica totalmente livre, são centenas de ativos puramente especulativos sem potencial de longo prazo.

Para separar o joio do trigo, o analista especializado em criptomoedas André Franco oferece na sua assinatura uma “Blacklist” para você saber exatamente o que não comprar na Segunda Bolsa.

Franco possui um histórico de acerto impressionante no mercado de criptomoedas, todas as suas 7 recomendações apresentaram ganhos significativos acima de 220%.

Principais diferenças

Antes que você confunda, vale ressaltar também que os ativos digitais não rendem uma porcentagem fixa em real ou dólar, nem mesmo distribuem dividendos ou juros sobre capital. Investir aqui não é como alocar em empresas que possuem fluxo de caixa.

Porém, o que esse segundo mercado está proporcionando é algo realmente revolucionário, são os ativos mais transportáveis, fungíveis, divisíveis, e duráveis do mundo. Além disso, alguns deles possuem a capacidade de manejar contratos inteligentes que podem mudar a forma como nos relacionamos com a tecnologia.

Uma das indicações de André Franco chegou a valorizar mais de 2.500% em apenas 19 meses. Um aporte de R$ 5.000 se tornaria R$ 132.500 em pouco mais de um ano e meio.

Como investir na Segunda Bolsa

Se você ainda não conhece, mas deseja surfar nas valorizações desta segunda bolsa, o analista André Franco está disponibilizando sua lista de ativos digitais recomendados, um curso completo e muito mais.

Tudo isso sem pagar nada em um primeiro momento, a sua série na Empiricus chamada de Crypto Legacy está com 7 dias gratuitos para você fazer sua própria análise do conteúdo. Se dentro desse prazo você escolher não seguir mais as dicas de Franco, basta cancelar.

Hoje, são mais de 36 mil pessoas ganhando dinheiro com as indicações da Empiricus, que está alavancando esse mercado através de análises e conteúdo educacional.

O que contém na Crypto Legacy?

Por um período gratuito de uma semana, você terá acesso a:

  • Lista de quais ativos comprar/Carteiras Recomendadas: acesse carteiras personalizadas com as criptomoedas indicadas para compra, com o maior potencial de valorização do mercado, de acordo com o seu patrimônio investido.
  • BlackList: tenha acesso à Blacklist das criptomoedas com os ativos que você jamais deve comprar na Segunda Bolsa.
  • Curso CryptoXpress: encontre o passo a passo para investir em criptomoedas em aulas explicativas, mostrando tudo que você precisa saber para começar a investir nesse mercado.
  • Guia Definitivo Segunda Bolsa: um material completo respondendo às principais questões de iniciantes: Imposto de renda, ferramentas, corretoras e tudo que envolve o mundo das criptomoedas.
  • Guia Primeiros Passos: como abrir conta na corretora, como realizar depósitos, compras, vendas e resgates de lucros gerados por criptomoedas.
  • Plantões de Dúvidas: tenha suas dúvidas relacionadas a criptomoedas solucionadas em nossos plantões de dúvidas, assista a entrevistas e debates sobre moedas digitais e todo o universo da Segunda Bolsa.
  • Publicações Semanais: as melhores novas oportunidades de investimentos e instruções sobre os ativos já presentes em carteira estão em nossas publicações semanais.

Para conhecer mais, é só clicar no link.

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br