A correlação entre o S&P 500 e o bitcoin atingiu o pico perto de um recorde histórico no início desta semana, de acordo com novos dados da Coin Metrics. Na segunda-feira, a correlação de 180 dias de Pearson atingiu 0,4905, antes de uma queda acentuada para 0,36 na terça-feira.

A correlação, expressa como um número entre -1 e +1, indica o tipo de relacionamento entre os ativos. Um número positivo indica que o movimento de um coincide com o movimento semelhante do outro, enquanto um número negativo indica uma relação inversa. Números próximos de zero indicam pouca ou nenhuma relação.

Os investidores geralmente buscam baixa correlação entre os ativos em suas carteiras, a fim de limitar a volatilidade. Uma correlação de 0,49 é considerada moderada.

O nível de segunda-feira chegou perto de eclipsar o recorde histórico de 14 de março, quando a correlação atingiu 0,4999. Esse nível coincidiu com a primeira semana de repercussão no mercado da pandemia de coronavírus, com vendas em massa conduzindo a correlação. Naquela época, os ativos em Wall Street tornaram-se cada vez mais correlacionados.

Já em maio, o Bitcoin teve uma grande correlação com o ouro, como podemos ver no gráfico abaixo:

Correlação do preço do Ouro e Bitcoin. Fonte: Skew.

Segundo o desenvolvedor Ivan do canal Ivan On Tech, a recente queda no mercado de ações afetou o bitcoin. Mas não tanto quanto se esperava, a criptomoeda continua segurando seu preço na faixa dos US$10 mil.

Veja também: Correlação do Bitcoin com o Ouro atinge alta histórica de 70%