A economia dos EUA sofreu a maior desaceleração desde pelo menos a década de 1940 no segundo trimestre, mostrando como a pandemia devastou os negócios em todo o país e deixou milhões de estadunidenses desempregados.

O produto interno bruto encolheu 9,5% no segundo trimestre em relação ao primeiro, uma queda que equivale a um ritmo anualizado de 32,9%, mostrou a estimativa inicial do Departamento de Comércio hoje. Esse é o maior declínio anualizado nos registros trimestrais que remonta a 1947 . Os gastos pessoais, que representam cerca de dois terços do PIB, caíram 34,6% anualizados, também o maior registrado.

“O declínio no PIB do segundo trimestre refletiu a resposta ao Covid-19, pois as ordens de ‘ficar em casa’ emitidas em março e abril foram parcialmente levantadas em algumas áreas do país em maio e junho, e os pagamentos de assistência pandêmica do governo foram distribuídos para famílias e empresas ”, afirmou o Bureau of Economic Analysis no comunicado.

Os números revelam a extensão da devastação econômica resultante das paralisações ordenadas pelo governo e das ordens de permanecer em casa, projetadas para retardar a propagação do novo coronavírus. Embora o emprego, os gastos e a produção tenham melhorado desde que as reaberturas começaram em maio e o estímulo federal maciço chegou aos americanos, uma recente onda de infecções moderou o ritmo da recuperação.

Esse aumento, resultado do fracasso dos Estados Unidos em conter o vírus, indica que a economia dos EUA provavelmente se recuperará mais lentamente do que lugares que fizeram um trabalho melhor, como a zona do euro.

Os EUA já ultrapassaram as 153 mil mortes com mais de 4,5 milhões de casos registrados, sendo o país com o pior resultado na contenção do coronavírus no mundo no total de mortes.

E aparentemente não há números positivos ou perspectiva de recuperação rápida, de acordo como o investidor Peter Schiff:

“As perspectivas de desemprego estão ficando mais sombrias, pois as novas reivindicações semanais de desemprego não estavam apenas acima de 1 milhão pela 19ª semana consecutiva, mas com os 1,434 milhão de hoje, eles agora estão mais altos pela 2ª semana consecutiva. A “recuperação” já terminou e a recaída já começou.”

tweetou Peter Schiff

E quanto mais a pandemia durar sem uma vacina, mais a produção econômica permanecerá abaixo dos níveis pré-crise, deixando cicatrizes permanentes em muitas empresas e trabalhadores.