Segundo o portal O Dia, a Amazon e a gigante chinesa Alibaba estão estudando a possibilidade de comprar os Correios.

A estatal de entregas brasileira está próxima de ser privatizada, tanto é assim que o último presidente da estatal não era a favor da privatização. Resultado? Foi demitido e substituído pelo General Floriano Peixoto.

A disputa nem é tanto pelo envio de cartas, mas sim pela enorme rede de agências e estrutura espalhada por todo o Brasil.

A privatização pela Amazon poderia significar serviços de entregas mais eficientes e rápidos. Além disso, como efeito positivo, mataria mais um cabide de emprego político.

Se engana quem acha que a Amazon é só uma empresa de logística ou comércio digital, ela é um conglomerado com empresas que vão da construção de foguetes até serviços para a web.

Escute o nosso podcast para entender o tamanho do império que pode assumir os Correios: