Nesta quarta-feira (02), o bitcoin (BTC) concluiu o mês com uma queda de preço de 17%, fechando janeiro como o terceiro pior da história. Mesmo assim, a MicroStrategy continua com suas frequentes compras de bitcoin.

Confira por que Com este pano de fundo global, os investidores estrangeiros seguem demandando ações no mercado brasileiro. Além disso, a Solana Labs lançou um serviço de pagamento enquanto tenta competir com os grandes no reino dos apps de pagamento. 

MicroStrategy compra em janeiro
Ranking de Criptomoedas – Fonte: CoinGoLive.com

MicroStrategy compra no terceiro pior mês da história

Desde meados de novembro, quando todo o cenário de criptomoedas parecia altamente otimista, seguindo as ondas do primeiro ETF de futuros de Bitcoin lançado nos EUA, o mercado está em pânico.

O BTC, por exemplo, atingiu uma alta histórica na época de US$ 69.000 depois de se recuperar das quedas de meados de 2021. No entanto, quando o hype em torno da aprovação da SEC começou a se dispersar, o ativo começou a afundar.

Assim, terminou o ano perto dos US$ 20.000, sem cumprir todas as previsões otimistas de especialistas em criptomoedas que previam um preço de US$ 100.000.

Leia também: MicroStrategy compra R$ 132 milhões em Bitcoin; Estratégia macro é BTC

Janeiro não começou bem. O Bitcoin caiu alguns milhares de dólares e ficou abaixo de US$ 45.000 por algumas semanas antes de cair direto no meio do mês.

Somente em janeiro de 2015 e 2018, a criptomoeda registrou perdas de preço mais substanciais, com 33,05% e 25,41%, respectivamente.

Preço do Bitcoin por mês – Fonte: Coinglass

O BTC concluiu janeiro com uma queda de preço de 17%. E mesmo assim, no terceiro pior janeiro da história, a MicroStrategy fez outra compra no valor de US$ 25 milhões.

Michael Saylor declarou no Twitter a mais recente aquisição feita pela empresa, na qual gastou US$ 25 milhões para comprar 660 bitcoins. Isso significava que o preço médio da transação foi de US$ 37.865.

Vale a pena notar que esta compra ocorreu no final de janeiro, pois seu estoque total ultrapassou 125.000 no final daquele mês.

Até agora, a empresa gastou US$ 3,78 bilhões para adquirir sua pilha de bitcoins a um preço médio de US$ 30.200 por moeda.

Além de Saylor, que é um conhecido touro do bitcoin, o CFO da MicroStrategy – Phong Le – também afirmou que a empresa continuará comprando e mantendo BTC, não importa o que aconteça no mercado em termos de ação de preço. 

Investidores estrangeiros seguem demandando ações no mercado brasileiro

As ações de energia, materiais básicos e de bancos foram o grande destaque do pregão nas bolsas em Nova York e na Europa. O mesmo oscorreu aqui no Brasil. 

A manutenção do ambiente positivo nos mercados globais se traduziu em ganhos para os ativos nacionais ontem. A busca por ações ligadas a commodities fez o Ibovespa terminar o pregão aos 113.228 pontos, anotando uma valorização de 0,97%.

Já o dólar emendou sua quarta queda seguida, encerrando abaixo de R$ 5,30 pela primeira vez desde setembro. Dólar (USDC) caiu 0,57%, para R$ 5,28.

Com este pano de fundo global, os investidores estrangeiros seguem demandando ações no mercado brasileiro. Apenas na sexta-feira, mais R$ 2,46 bilhões em recursos externos ingressaram no mercado secundário à vista da B3, e o total no mês de janeiro já ultrapassa os R$ 30 bilhões.

Solana lança serviço de pagamentos

Em 1º de fevereiro, a Solana Labs anunciou o lançamento do Solana Pay em uma colaboração conjunta com aplicativos de pagamento como Circle, Checkout.com, Citcon, Phantom, FTX, e Slope.

O anúncio afirmou que a premissa por trás do novo serviço é que o pagamento real e sua tecnologia subjacente “passam de ser um utilitário de serviço necessário para um verdadeiro canal de comunicação ponto a ponto entre o comerciante e o consumidor”. 

O aplicativo permitirá que os usuários enviem stablecoins como USDC de suas carteiras de criptomoedas diretamente para a conta de um comerciante, onde são liquidadas quase instantaneamente com taxas de transação muito baixas. 

A próxima fase de seu desenvolvimento permitirá que os comerciantes enviem criptoativos de volta aos consumidores, “o que abrirá novos recursos no comércio que antes não eram possíveis”, de acordo com Sheraz Shere, chefe de pagamentos da Solana Labs. 

A Solana Pay está entrando em um ecossistema lotado de aplicativos de pagamentos existentes, onde os gigantes da tecnologia Apple e Google atualmente dominam. Frequentemente, a Solana era apelidada de “assassina da Ethereum” devido à sua maior taxa de transferência, mas o protocolo sofreu várias interrupções de rede, o que tornou esse apelido altamente questionável.

O anúncio do novo serviço de pagamentos foi precificado peos investidores. Ontem mesmo, a maior alta em 24 horas entre as altcoins de maior capitalização foi da Solana, que saltou quase 17%. De acordo com o CoinGoLive, o token SOL negociado a US$ 110,31 registra uma alta de 16% em 7 dias. 

O resultado das principais altcoins nas últimas 24 horas é o seguinte: Ethereum (-+0,57%), Binance Coin (+0,07%), Solana (+2,85%), Cardano (+1,88%), Ripple (+0,98%), Polkadot (+3,51%), Terra (+1,36%), Dogecoin (+1,23%), Avalanche (+3,50%) e Shiba Inu (-0,75%). 

De acordo com o CoinGoLive, a capitalização de mercado de todos os ativos cripto fica em torno de US$ 1,85 trilhões nesta quarta-feira.


Acompanhe as notícias do mercado cripto no grupo do Telegram do Cointimes (acesse) e tenha um ótimo dia de negociações.

A NovaDAX está cheia de novidades!

Uma das maiores corretoras de criptoativos do Brasil agora ZEROU as taxas para saque em real!

A NovaDAX também conta taxa zero para transações de Bitcoin e mais de 110 moedas listadas, com saque disponível na hora e alta liquidez. 

As criptomoedas com as melhores taxas do mercado! Basta ativar o programa gratuito Novawards e aproveitar taxas reduzidas em até 75%.

Conheça ainda o Cartão NovaDAX e peça já o seu.