Cointimes
Bitcoin

Com criptomoedas FMI vê possível Dolarização 2.0

FMI bitcoin e dolarização

A presidente do FMI, Christine Largarde, fez seu discurso chamado “Banco Central e Fintech – Um Admirável Mundo Novo” na conferência do Banco da Inglaterra, abordando temas como criptomoedas e inteligência artificial.

Largarde destacou alguns cenários que o FMI tem para as critpomoedas, um deles é o seu papel de cumprir uma espécie de dolarização 2.0. O que seria a Dolarização 2.0? Lagarde explicou:

“Por exemplo, pense em países com instituições fracas e moedas nacionais instáveis. Em vez de adoar a moeda de outro país – como o dólar dos Estados Unidos- algumas desses economias podem ver um uso crescente das moedas virtuais. Chame isso de dolarização 2.0”

O discurso de Lagarde, feito em 2017, vem se realizando desde então. O maior exemplo é a Venezuela, que tem visto seu volume de bitcoins negociados crescer conforme a crise institucional e monetária causada por Maduro:

Algumas empresas como a Bitmain, já anunciaram planos para tentar explorar esse mercado, criando bancos centrais privados que usam criptomoedas.

A Binance, maior exchange de bitcoins do mundo, já se adiantou e entrou na Argentina antes mesmo do congelamento de preços. O cheiro da hiperinflação argentina atraí cada vez mais bitcoins para os nossos vizinhos.

O Bitcoin é como um remédio amargo, ninguém gosta de tomar mas ele ajuda a curar a doença dos bancos centrais.

https://cointimes.com.br/tendencias-em-2019-para-o-mercado-de-criptomoedas/

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Posts relacionados

95% do volume de exchanges de criptos é falso, diz estudo

Cointimes
22 de março de 2019

Fundador do Paypal acredita que encontrou Satoshi Nakamoto em uma praia no Caribe

Cointimes
25 de outubro de 2021

Mesmo com hack milionário, esse token está tomando a direção contrária do mercado

Cláudio Brito
21 de setembro de 2021
Sair da versão mobile