O co-fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, twittou que está “feliz pelo ataque ao Twitter ter sido feito por um hacker ganancioso por criptomoedas, e não por alguém pior”.

Imagine ter o controle das contas mais influentes do Twitter, entre presidenciáveis e empresários bilionários, mesmo que somente por algumas horas; estragos bem maiores do que angariar 12 bitcoins poderiam ter sido feitos.

Dos males, o menor

“Este ataque poderia ter causado danos sérios. Estou realmente feliz que um hacker motivado por ganhar bitcoins tenha chegado ao vetor de ataque antes que atores muito mais nefastos tentassem vazar dados privados, manipular preços de ações, manipular eleições ou iniciar guerras.”

Enquanto o atacante saiu com mais de 12 bitcoins de lucro, ele poderia ter mirado em algo muito mais valioso, como informações pessoais de contas importantes como Elon Musk, Jeff Bezos, Bill Gates, etc.

Misha Lederman, da TronWallet, respondeu a Buterin, concordando com a conclusão deste último de que o dano poderia ter sido muito pior.

Em vez disso, Lederman afirmou que milhões de pessoas foram capazes de aprender sobre como é um golpe com Bitcoin, presumivelmente não apenas pela situação no Twitter, mas também pela cobertura da mídia.

Além disso, o número de pesquisas sobre Bitcoin no Google também aumentou significativamente.

Culpa da centralização, ou do Bitcoin?

Por conta desses ataques, muitos na rede social passaram a questionar “quem é o verdadeiro culpado” por isso: o Twitter, que se descuidou com os painéis de administração geral? Ou o Bitcoin, que “incentivou os crimes para início de conversa”?

“O Twitter apenas provou o quão imprudente é para Donald Trump ser social e politicamente ativo nessa plataforma.

Um hacker pode assumir sua conta e dizer QUALQUER COISA prejudicando tanto o estrangeiro quanto o doméstico. As possibilidades são infinitas. As ramificações podem ser catastróficas.“

Usuário @DotDotDot_John

Para o jornalista da New York Times, Josh Barro, a culpa é das criptomoedas: “Sabe de uma coisa, não teríamos que nos preocupar com esse tipo de problema se criptomoedas fossem ilegais”.

Enquanto isso, o congressista dos EUA Tom Emmer disse que o “Bitcoin não é o problema. Controle centralizado é”.

Em discussão na rede sobre a questão dos backdoors que foram explorados pelos hackers, o engenheiro de softwares Huntley tweetou que a necessidade dos mesmos se dá na recuperação de contas perdidas:

“É verdade, mas poderíamos argumentar que sem esses backdoors, contas seriam perdidas para sempre”.

E Vitalik respondeu: “Eu tenho amigos que hoje têm contas do Twitter bloqueadas, e já entraram em contato com o suporte há semanas, (mesmo assim) o backdoor não está ajudando. Um deles acabou de criar uma conta nova.”

E você, o que pensa? A culpa é da centralização descuidada do Twitter, ou da facilitação que produtos descentralizados como o Bitcoin criam para os criminosos?