Muitas são as pessoas que querem investir em bitcoin, mas várias dúvidas podem aparecer no meio do caminho. Quem emite essa moeda? Quais são os riscos? Ela é segura? Essas são algumas das dúvidas que vamos esclarecer neste post.

Afinal, investir em Bitcoin é seguro?

Antes de responder esta pergunta, é importante esclarecer algumas informações. Primeiro, o Bitcoin não é como uma aplicação comum, ela é uma moeda e tecnicamente não é um investimento em si, por didatismo vamos chamá-la de investimento. Há formas específicas para consegui-lo: por meio de mineração, onde se usa um software para emitir novas espécies, ou por troca de dinheiro real pela criptomoeda.

A segunda coisa é que a segurança do Bitcoin está atrelada à sua criptografia — sistema de códigos extremamente complicado e bem difícil de ser decifrado. Sua proteção também é garantida por causa de sua independência. A longo prazo, essa moeda não é afetada por problemas de instabilidade comuns em mercados monetários, já que não há interferência governamental na sua emissão.

Outro ponto é que ela possui uma emissão previsível, isto é, existe um protocolo que permite apenas a existência de aproximadamente  21 milhões de Bitcoins, garantindo uma proteção deflacionária para a moeda.

Contudo, apesar de sua administração exigir apenas um computador e conexão com a internet. Sua mineração é um pouco mais complicada e necessita de verdadeiras fazendas com máquinas caras e feitas apenas para esse propósito, além de aplicativos específicos para minerá-la e uma carteira responsável por gerenciar as moedas conquistadas. É um processo que não é vantajoso fazê-lo em casa.

O Bitcoin está funcional há mais de 8 anos  e vem se mostrando uma moeda utilizada em momentos de crise, como é no caso venezuelano.

Vale notar que essa característica de preservação de valor e finidade da quantidade, apesar da alta volatilidade atual, é uma característica presente também no ouro. Por isso muitos chamam o Bitcoin de ouro digital.

Na questão da criptografia e matemática o bitcoin já se provou funcional, do ponto de vista técnico é um sistema seguro.

Quais são as desvantagens?

O que mais preocupa os economistas quando se fala em Bitcoin é a sua volatilidade.

Mesmo aplicações como ações ou moedas tipo o dólar, por exemplo, costumam sofrer oscilações mínimas se comparadas ao Bitcoin.

No gráfico a seguir podemos ver as oscilações dos últimos 6 meses, de 13/11/18 até o dia 8/05/18, onde o bitcoin oscilou de quase 20 mil dólares, até o mínimo de 6100 dólares.

Investir em Bitcoin é seguro

Fonte: https://onchainfx.com/chart/bitcoin

A questão regulatória também é um tema que merece atenção: não se sabe como os governos lidarão com a moeda à medida que ela for se tornando mais presente na vida das pessoas. Apesar disso, é a sua descentralização que garantirá que o poder executivo não tente controlá-la, embora possam haver proibições de seu uso.

Outro ponto é que por causa da falta de conhecimento dos usuários, a segurança para lidar com moedas desse tipo pode ser prejudicada. Nesse contexto, ataques contra os usuários de Hackers e Malwares são bem possíveis.

Em 2014, por exemplo, ocorreu um problema que não está relacionado a moeda em si, mas com a plataforma responsável por gerenciar o trade. A bolsa japonesa Mt.Gox sofreu um ataque no qual cerca de R$385 milhões dos usuários foram roubados. Escolher uma bolsa que nunca foi hackeada e com bom histórico é de extrema importância.

O que indica que, apesar de ser um mercado bastante promissor, ainda há incertezas a respeito de sua legalidade e que devem ser consideradas quando se pensa em investimentos.

E aí, gostou de saber se investir em Bitcoin é seguro? Assine nossa newsletter e não perca uma notícia nova.