O banco JPMorgan Chase & Co é o maior dos Estados Unidos gerindo mais de US$ 2 trilhões em ativos. Segundo relatório recente, o banco que criticava o Bitcoin mudou de ideia sobre o papel das criptomoedas.

Em setembro de 2017 o CEO do JPMorgan alertou para o mundo que o Bitcoin ” não iria funcionar” e que ele teria apenas um “papel criminoso” na economia, servindo a traficantes e a um pequeno mercado.

Bitcoin tem um lugar no portfólio

Contudo, dois anos depois parece que a visão do maior banco dos Estados Unidos mudou um pouco. Em um relatório de 74 páginas publicado na sexta retrasada, o banco assume que as criptomoedas “têm um lugar no portfólio dos investidores”.

Para o banco a criptomoeda serve como um mecanismo de investimento para quem “perdeu a confiança na moeda doméstica e no sistema de pagamentos“.

Conforme estudos do economista Aleh Tsyvinski da Universidade de Yale , publicado em agosto de 2018, concluiu que um portfólio com 4 a 6% em Bitcoin e outras criptomoedas seria o ideal para investidores.

A tradicional empresa de investimentos VanEck fez uma comparação entre portfólios que tinham alocado pelo menos 0,5% ou 1% em Bitcoin. Eles descobriram que, mesmo se expondo pouco, esses portfólios chegam dar até 2% a mais de retorno.

O Bitcoin já tem lugar no seu portfólio? Saiba como receber Bitcoin e criptomoedas fazendo compras.