O marketplace russo Hydra, alcançou a sexta posição no ranking de volume de movimentações em criptomoedas na Europa Oriental, se aproximando de multinacionais, como a Binance e a Coinbase. Tendo movimentado mais valor em criptomoedas que as  exchanges Poloniex e Kraken.

O relatório publicado no dia 14 pela empresa de análise de dados Chainalysis, informou que o mercado negro da darknet (DNM) -também conhecido como Hydra- é  “sexto maior serviço em volume da Europa Oriental”.  O relatório apresentado também disse que existe um “sistema complexo de distribuição de medicamentos” na Rússia e Europa. 

O alto volume de movimentações ocorridas no mercado negro se devem a dois principais fatores. Primeiramente, diversos países da Europa Oriental lideram os rankings de adoção das criptomoedas no mundo, como a Ucrânia e Rússia, que estão, respectivamente em primeiro e em segundo lugar.

Leia também: Confira os 10 países que mais utilizam criptomoedas

O segundo fator é que a Europa Oriental tem grande influência no mercado negro do mundial, com 21% da atividade da darknet concentrada na região. Talvez isso ocorra por conta dos resquícios culturais herdados pela influência da União Soviética. 

A URSS combateu fortemente o comércio não chancelado pelo Estado. Por conta da escassez de diversos produtos básicos, como alimentos e remédios, à população acabava optando pelo mercado informal.

O que pode ser comprado?

A maioria dos usuários utiliza o site para compra de armas e drogas, vista a dificuldade e risco legal de se obter tais produtos em mercados tradicionais. Contudo, é possível adquirir diversos itens comuns, como livros, chips e o que mais estiver sendo ofertado pela rede descentralizada de vendedores.

Ele funciona como o Mercado Livre, onde vendedores se cadastram e vendem seus produtos individualmente. A função do site é chancelar as transações para que ela ocorra da melhor maneira possível.

Quanto ao transporte, à Chainalysis informou que:

“Os transportadores recebem pedidos de entrega de maneira semelhante aos motoristas do Uber e entregam pacotes em locais distintos, transmitidos aos compradores posteriormente, para que nenhuma das partes tenha que se ver ou fazer uma troca em pessoa.”

A utilização das criptomoedas para realização de negócios anônimos tem crescido no mundo. Isso ocorre pois determinadas criptos -como Monero e Dash- oferecem anonimato suficiente para não ser possível o rastreio de transações. Mas o dinheiro em espécie ainda é a maneira mais usada para se esconder movimentações financeiras.