Cointimes
Criptomoedas

Mercado Livre permitirá compra, venda e custódia de Bitcoin e outras criptomoedas

Aplicativo Mercado Pago do Mercado Livre e Bitcoin

Em maio deste ano o Mercado Livre anunciou a compra de R$40 milhões em bitcoin que foram adicionados ao patrimônio da empresa e agora ele pretende oferecer a possibilidade de seus clientes comprarem, venderem e armazenarem Bitcoin e outras criptomoedas na carteira digital do Mercado Pago (serviço de pagamento do grupo).

Com isso, o grupo Mercado Livre dá mais um passo importante no ecossistema dos criptoativos e ajuda seu aplicativo Mercado Pago a se posicionar como referência no meio de pagamentos digitais no Brasil.

Mercado Livre e as criptomoedas

Sendo a empresa mais valiosa da América Latina, eles pretendem replicar o serviço em outros países da região caso a experiência no Brasil seja positiva.

A possibilidade foi disponibilizada para um pequeno grupo de clientes no início de novembro e será implementada de forma mais ampla nas próximas semanas, de acordo com Túlio Oliveira, vice-presidente do MercadoPago.

“Dedicamos um tempo para estudar e aprender antes de decidir entrar nas criptos”, disse Oliveira em uma entrevista. “Isso tem um potencial de transformação pela frente e abre um novo caminho para nós.”

Em um primeiro momento os clientes ainda não poderão usar Bitcoin e outras criptomoedas para comprar produtos na plataforma.

O serviço se assemelha muito com o que já é oferecido por seus concorrentes globais, PayPal e Venmo.

O Mercado Livre iniciou seu braço de fintech em 2003 e foi gradativamente ampliando sua oferta de serviços de carteira e meios de pagamento, passando a oferecer crédito para compradores e vendedores, além de seguros.

Seu volume total de pagamentos superou os 100 bilhões de reais no terceiro trimestre deste ano.

Seja seu próprio banco

Essa é uma ótima implementação que deve facilitar um primeiro contato de novos usuários no mercado de criptomoedas, facilitando a acessibilidade aos ativos, liquidez e “segurança” na custódia por uma empresa de credibilidade no mercado e conhecida pela maioria dos brasileiros.

Ainda assim, o serviço provavelmente deverá possuir taxas e os usuários devem avaliar se é vantajoso realizar a negociação com o intermédio do MercadoPago.

As criptomoedas foram criadas para evitar a necessidade de intermediários, possibilitando negociações ponto-a-ponto ou diretamente nas exchanges (bolsa de valores). Além disso, a custódia por terceiros também vai contra a proposta de “sermos nosso próprio banco”, tão valorizada no universo cripto.

Ao utilizar os serviços do Mercado Pago, o usuário precisa confiar na empresa e fica sujeito à liquidez, disponibilidade, horário de funcionamento, limitações de servidores e outros tantos pontos que envolvem esse tipo de serviço terceirizado.

Leia mais:

Mercado Livre divulga compra de R$40 milhões em bitcoin

CEO do PayPal promete uma “super carteira de criptomoedas”

Ex-membros do PayPal lançam plataforma de pagamento instantâneo utilizando blockchain e stablecoins

Após integrar compra de criptomoedas, Paypal promete permitir o saque

Bancos no Texas querem custodiar bitcoin, é uma boa ideia?

Mais antigo banco americano deve lançar serviço de custódia de cripto na Irlanda

Posts relacionados

BitTorrent Token (BTT) salta mais de 30% com o lançamento da Mainnet agendado para 12 de dezembro

Bruno Haacke
7 de dezembro de 2021

Bitcoin se aproxima de R$ 300 mil enquanto dívidas crescem no mundo

Gustavo Marinho
16 de fevereiro de 2021

Foxbit agora oferece pagamento em cripto para empresas

Cláudio Brito
29 de novembro de 2021
Sair da versão mobile