O mercado de criptomoedas ainda é pequeno quando comparado ao mercado de capitais ou a qualquer ativo global. Para você ter uma noção, atualmente, o mercado de criptomoedas é 6 vezes menor do que a Microsoft e 43 vezes menor do que o ouro.

Muito disso ocorre por conta da falta de investidores institucionais (grandes empresas e fundos de investimentos) nesse mercado, visto que eles são os responsáveis pela grande maioria do capital investido nos principais mercados do mundo. A exemplo disso, 80% do capital investido no S&P 500 é proveniente de investidores institucionais.

Portanto, para que o mercado de criptomoedas tenha um grande potencial de crescimento e se torne um dos principais meios de investimentos da atualidade, é fundamental a entrada de investidores institucionais.

Na Mercurius Research dessa semana, iremos explicar como a entrada desses investidores ocorrerá, e quais serão as consequências disso sobre o mercado de criptomoedas de modo geral e, principalmente, no preço do Bitcoin, além de mostrar como esse evento está mais próximo do que aparenta…

Por que os investidores institucionais não investem em criptomoedas?

De acordo com uma análise publicada na semana passada pela Fidelity Digital Assets, que entrevistou mais de 800 players institucionais na Europa e nos Estados Unidos, os três principais motivos para que os investidores institucionais não ingressem no mercado de criptomoedas são a alta volatilidade dos ativos digitais, o risco de manipulação do mercado e a falta de fundamentos que justifiquem o ingresso nessa classe de ativos.

O fato mais importante de se observar a partir dessa pesquisa, é que todos esses problemas são normais de um mercado muito recente (como o das criptomoedas), e tendem a ser resolvidos à medida que há um amadurecimento do mercado e um aumento de seu MarketCap (que dificulta a manipulação e reduz a volatilidade do mesmo).

Além disso, o estudo mostrou que, comparado ao ano anterior, todos esses gargalos apontados pelos investidores institucionais para não investir no mercado de criptomoedas estão se tornando cada vez mais irrelevantes. De 2018 para 2019, caiu 6% a quantidade de investidores que apontam qualquer um dos três problemas citados como gargalos para a sua entrada no mercado, mostrando que esses problemas tendem a ser resolvidos no médio prazo.

Também é importante lembrar que, outro grande problema levantado pelos investidores institucionais em relação ao mercado de criptomoedas, foi a falta de infraestrutura e regulação desse mercado para suportar a quantidade de capital investido nele. Dessa forma, seria necessário a criação de normas regulatórias e produtos de investimentos providos por grandes instituições.

Bem, desde 2017 esse problema está sendo resolvido através de iniciativas dos próprios players institucionais, como a criação dos contratos futuros e opções através da CME (maior bolsa de commodities do mundo), e o desenvolvimento de plataformas exclusivas para investidores institucionais por meio da Bakkt, a qual é gerida pela mesma empresa responsável pela NYSE (bolsa de Nova York).

Esse fato torna claro que, cada vez mais, o mercado de criptomoedas está se moldando para receber os investidores institucionais, seja em termos de infraestrutura ou de regulação. Partindo-se dos princípios discutidos nesse texto, pode-se dizer que a institucionalização do mercado de criptomoedas está próxima.

Mas quando essa institucionalização ocorrerá?

Existe uma tendência de uma entrada massiva de investidores institucionais no universo das criptomoedas nos próximos cinco anos. De acordo com a Fidelity Digital Assets, atualmente, cerca de 36% dos players institucionais investem em criptomoedas, porém mais de 90% deles afirmaram que pretendem investir ao menos 0.5% do seu portfolio em cripto nos próximos cinco anos.

Essa entrada de investidores está de encontro com a tendência atual do mercado de custódia e das plataformas de trading. Foram anunciados, no último mês, inúmeros produtos com foco no mercado de investidores institucionais, como a Bitgo Prime, a parceria da Bakkt com a Galaxy Digital e a aquisição da Tagomi pela Coinbase.

Todos esses movimentos reforçam, basicamente, um único fato: a próxima grande era de investimentos em criptomoedas está chegando, e se dará por meio da institucionalização do mercado.

Caso você queira entender mais a fundo por que os investidores institucionais estão investindo no mercado de criptomoedas, baixe gratuitamente o Mercurius Mondays #03. Nesse material, preparamos um estudo completo sobre o tema para você.