Um novo algoritmo de mineração está sendo construído há mais de um ano por uma equipe de pesquisadores da comunidade Monero. Eles prometem dar um fim as vantagens gigantescas das ASICs (máquinas específicas de mineração).

Problema com mineração

Originalmente as primeiras criptomoedas foram criadas para serem mineradas por processadores caseiros, a ideia é que todos pudessem participar do processo de validação na rede.

Entretanto, muitos avanços foram feitos e o hardware caseiro se tornou obsoleto, hoje você já não consegue mais minerar bitcoin ou praticamente qualquer criptomoeda em casa. Litecoin, Monero, Ethereum e tantas outras criptomoedas tentaram resolver esse problema, mas nunca conseguiram realmente.

A solução até agora era criar forks em determinados períodos de tempo, de tal forma que a implementação de mineradoras específicas se tornasse inviável.

Porém, mesmo utilizando-se de forks períodos foi possível notar a criação de máquinas específicas para a mineração

RandomX, uma solução?

O algoritmo RandomX foi desenvolvido com a ideia de dificulta ao máximo a vantagem competitiva de criar uma ASIC.

Nos testes foram desenvolvidos algoritmos que utilizam o poder excepcional das GPUs para a mineração de Monero, porém elas não foram tão eficientes quantos as CPUs.

AMD vs Intel: Comparative Benchmarks - Selectel Blog

Os benchmarks das CPUs podem ser vistos abaixo, vemos clara vantagem da AMD sob os processadores da Intel:

CPURAMOSAESFast modeLight mode
AMD Ryzen 7 170016 GB DDR4Ubuntu 16.04hardware4100 H/s (8T)620 H/s (16T)
Intel Core i7-8550U16 GB DDR4Windows 10hardware1700 H/s (4T)350 H/s (8T)
Intel Core i3-32202 GB DDR3Ubuntu 16.04software145 H/s (4T)
Raspberry Pi 31 GB DDR2Ubuntu 16.04software2.0 H/s (4T) †

Apesar de termos visto diversas falhas na implementação de algoritmos resistentes a AISC, o RandomX não promete fazer isso e sim minimizar as diferenças entre uma máquina específica de mineração e um computador caseiro.Três grupos vão fazer a revisão do código e testes de resistência contra ASICs.

Para testar o RandomX três grupos foram contratados, a comunidade levantou cerca meio milhão de reais para fazer auditoria do protocolo. Cada equipe vai fazer sua auditoria independente, algumas vezes de forma redundante.

Não é a primeira vez que a comunidade Monero levanta fundos para o desenvolvimento de uma feature. No ano passado, update Bulletproof também foi pago com dinheiro da comunidade e trimestralmente alguns pesquisadores são pagos para estudar novas soluções criptográficas.

Oportunidades?

A agenda de forks do Monero indica que até o final de outubro esse novo algorítimo seja implementado, não sabemos se a auditoria irá apontar alguma falha grave, mas se tudo ocorrer bem é bem possível que a agenda seja cumprida.

Em tese, o RandomX poderia abrir as portas para os mineradores caseiros, principalmente se ele for implementado em outras criptomoedas de menor importância.

Será que esse update poderá trazer grandes impactos para o preço do Monero? Bom, para entender como funciona a dinâmica desse mercado de altcoins nós criamos o Cointimes Research | Altcoins, um guia completo para você não perder as oportunidades do mercado:

https://cointimes.com.br/product/cointimes-research-02-altcoin/

Saiba mais sobre mineração de criptomoedas? Ouça o nosso podcast sobre o tema: