Breaking News  
Netflix – “O banqueiro da resistência” o banco clandestino contra o nazismo Cultura

Netflix – “O banqueiro da resistência” o banco clandestino contra o nazismo

O Banco clandestino que ajudou a destruir o nazismo

Neto Guaraci
Neto Guaraci

O Banqueiro da Resistência é um filme de drama baseado em fatos reais, dirigido pelo diretor holandês Joram Lürsen. A obra é um original da Netflix, ela foi a primeira a ser indicada a 11 Golden Calves, ganhando quatro nominações.
O filme se passa na Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), conta a história de dois irmãos de Amsterdã, que, vendo seu país sendo ocupado pela Alemanha nazista, resolveram utilizar sua expertise com o sistema bancário holandês para criarem um banco clandestino. Veja o trailer abaixo:

Contexto histórico

A Holanda, assim como na primeira guerra mundial, se declarou neutra quando a Segunda Guerra eclodiu.
Porém, para a Alemanha nazista, a Holanda tinha um enorme papel estratégico. Por isso, em maio de 1940 os nazistas fizeram a Blitz de Rotterdam, um ataque devastador que destruiu mais 25 mil casas, matou 900 civis e drenou todas as forças do exército holandês.
Em poucos dias o exército holandês capitulou, os governantes se viram obrigados a fugir, em conjunto com a família real, se abrigarando em Londres.

O banco clandestino

A perseguição aos judeus na Holanda foi uma das piores em toda a Europa, os registros populacionais extremamente organizados facilitaram o extermínio de 70% da população judaica.
Vendo uma dessas atrocidades, Wally van Hall um banqueiro de Amsterdã se vê obrigado moralmente a combater o regime nazista. Ele convence seu irmão, Gijs van Hall a auxiliá-lo na criação de um banco clandestino.
Esse banco financiou jornais, paralisações, armas, alimento, guerrilhas e a maior parte da operação contra o nazismo em todo o período da guerra.

Eles se utilizavam da infraestrutura do Banco Central para fraudar o sistema, apesar do filme não focar nos detalhes dessas transações, é interessante observar a capacidade do sistema de fazer o registro das transações sem revelar quem é a pessoa que a fez.

O banqueiro da resistência e o bitcoin

A operação dos irmãos van Hall foi muito bem elaborada, apesar disso eles colocaram em risco suas famílias, parentes e amigos.
Seus atos heroicos foram escondidos por décadas, pois apesar de lutarem contra o nazismo, eles fraudaram o sistema bancário. Apenas em 2010 eles foram realmente reconhecidos por seus atos de bravura.

Monumento em homenagem ao banqueiro da resistência
Monumento em homenagem aos irmãos van Hall em frente ao Banco Central holandês

A importância desses herois só ficou conhecida para nossa sociedade quase um século depois do ocorrido. Mesmo movimentando mais de 500 milhões de euros em valores atuais.
Ao terminar o filme eu fiquei pensando, será que não temos outros Wally van Hall na Venezuela, em Cuba, combatendo terroristas? Com certeza temos, agora eles não precisam fraudar o Banco Central, o sistema pode ser completamente paralelo.
Com o Bitcoin e outras criptomoedas cada pessoa consegue ser seu próprio banco.
E em tempos de ressurgimento de ideias e projetos totalitários, é imprescindível conhecermos alternativas ao sistema bancário atual e nos espelharmos em grandes figuras como os irmãos van Hall.
Gostou da nosso conteúdo? Quer que mais pessoas conheçam a resistência econômica contra o nazismo? Compartilhe nas suas redes sociais.

Neto Guaraci
Neto Guaraci

Sou estudante de Gestão de Negócios e Inovação na Fatec-Sebrae. Trabalho na Foxbit, ajudo na criação de conteúdo. Amo falar sobre criptomoedas, liberdade financeira e empreendedorismo. Se você também gosta, entre em contato. :)

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.