Cointimes
Bitcoin

O que os candidatos americanos pensam sobre Bitcoin

A votação em blockchain ainda pode estar muito distante, mas os candidatos à Presidência dos EUA em 2020 estão começando a levar o Bitcoin e outras criptomoedas a sério.

O que não é uma surpresa, dado que 43% da geração Z e da geração do milênio pensam que criptomoedas poderiam substituir o sistema financeiro dos EUA.

Sejam eles de esquerda ou de direita, os presidenciáveis estão sendo questionados sobre Bitcoin, criptomoedas e blockchain – e cada vez mais espera-se que eles tenham uma opinião.

Então, o que os presidenciáveis de 2020 pensam sobre Bitcoin, cripto e a tecnologia blockchain?

Donald Trump não gosta de Bitcoin

O atual presidente dos EUA, Donald Trump, não se conteve ao falar de Bitcoin. Em julho de 2019, ele foi direto à sua plataforma favorita, o Twitter, para expressar sua opinião.

Leia os tweets na íntegra:

“Eu não sou fã de Bitcoin e outras criptomoedas, que não são dinheiro e cujo valor é altamente volátil e baseado no nada. Os ativos criptografados não regulamentados podem facilitar comportamentos ilegais, incluindo o comércio de drogas e outras atividades ilegais.

…. Da mesma forma, a “moeda virtual” do Facebook Libra terá pouco status ou confiabilidade. Se o Facebook e outras empresas quiserem se tornar um banco, devem procurar um novo Banking Charter e se sujeitar a todos os Regulamentos Bancários, assim como outros Bancos, tanto nacionais quanto internacionais.

Temos apenas uma moeda real nos EUA e ela está mais forte do que nunca, tanto segura quanto confiável. É de longe a moeda mais dominante em qualquer lugar do mundo, e sempre permanecerá assim. É chamada de dólar dos Estados Unidos!”

Desta forma, com o orçamento de US$ 4,8 bilhões para o ano fiscal de 2021, Trump quer realocar o Serviço Secreto para o departamento do Tesouro dos EUA, em parte para combater crimes com criptomoedas.

No entanto, embora o próprio presidente possa não ser fã de criptomoedas, vários de seus indicados são defensores entusiastas de Bitcoin. A comissária da SEC Hester Peirce, nomeada por Trump, conquistou fãs de cripto com sua discordância em uma decisão da SEC de rejeitar um ETF de Bitcoin.

E o chefe de gabinete da Casa Branca em exercício, Mick Mulvaney, co-fundou o bipartidário Blockchain Caucus, descrevendo o blockchain como uma tecnologia com o potencial de “revolucionar o setor de serviços financeiros, a economia dos EUA e a prestação de serviços governamentais”.

Portanto, mesmo que o presidente Trump seja contrário às criptomoedas, o governo Trump parece estar adotando uma visão mais equilibrada.

Bernie Sanders quer bancarizar os não-bancarizados – com correios

O senador Bernie Sanders, pioneiro da indicação democrata, costuma falar sobre iniciar uma revolução política. Mas suas políticas financeiras podem estar em desacordo com a revolução financeira que muitos amantes de Bitcoin estão procurando.

É difícil identificar onde Bernie Sanders se posiciona sobre questões de criptomoeda; o Senado raramente adotou uma legislação relevante, de modo que ele não tem registro de votação aplicável para examinar. Além disso, Sanders não participa de comitês que lidam regularmente com essas questões, como os de bancos ou comércio.

No entanto, como você pode imaginar, um candidato que se opõe a políticas econômicas que beneficiam o 1% dos americanos, Sanders tem muitas opiniões sobre dinheiro.

Em seu plano para “Serviços bancários justos para todos“, o senador mostra um grande interesse em expandir o acesso a serviços financeiros para os 63 milhões de americanos desbancarizados.

Mas, em vez de soluções criptográficas, ele quer que as agências dos correios dos EUA preencham a lacuna. Os americanos seriam capazes de obter pequenos empréstimos, com juros baixos, contas correntes e poupança do serviço postal, que também administraria uma plataforma bancária on-line.

Além disso, Sanders apóia a neutralidade da rede, o que restringiria os provedores de Internet de bloquear ou diminuir o acesso do usuário a sites específicos.

Ele também quer aumentar a definição da FCC de velocidade mínima de banda larga para 100mbps de download enquanto investe US$ 150 bilhões em “infraestrutura de banda larga resiliente, acessível e de propriedade pública”.

Isso pode resultar em um ambiente propício para a criptomoeda, mesmo que o teor geral de suas políticas socialistas seja o contrário do que acreditam os entusiastas que veem o Bitcoin como a personificação dos princípios libertários.

Elizabeth Warren está preocupada com criptomoedas

A senadora de Massachusetts e candidata ao Partido Democrata Elizabeth Warren adotou uma visão cautelosa.

Em uma audiência no Senado de outubro de 2018 chamada “Explorando o Ecossistema de Criptomoedas e Blockchain”, ela descreveu as criptomoedas como “fáceis de roubar” e destacou um estudo que relatou que 80% dos ICOs em 2017 eram fraudes.

No entanto, ela admitiu que, embora possam capacitar golpistas e criminosos, as moedas virtuais “são uma inovação interessante que, pelo menos teoricamente, poderia proporcionar benefícios aos consumidores”.

Ao ser perguntada se ela estava preocupada com os americanos comprando Bitcoin, Warren respondeu ao Yahoo! Finance, “estou preocupada com os consumidores se prejudicando”.

Além disso, como parte de sua campanha mais ampla contra o avanço das gigantes tecnológicas, Warren mirou no projeto do Facebook.

Após o anúncio de julho de 2019 de que o Comitê de Bancos, Habitação e Assuntos Urbanos do Senado dos EUA realizaria uma audiência sobre a Libra do Facebook, Warren tuitou:

“O Facebook tem muito poder e um histórico terrível quando se trata de proteger nossas informações privadas. Precisamos responsabilizá-los – não dar a eles a chance de acessar ainda mais dados do usuário. #QuebreAsBigTechs.”

Joe Biden ainda não comentou sobre Bitcoin

O ex-vice-presidente e agora candidato à presidência falou pouco sobre Bitcoin e criptomoedas. Mas um comitê de campanha política fez isso em seu nome.

Em 2016, quando Biden anunciou sua intenção de concorrer ao cargo, o grupo, chamado Draft Biden 2016, aceitou doações em bitcoin.

Embora Biden não tenha comentado sobre isso, Joseph Schweitzer, diretor do grupo, disse: “Isso está de acordo com o forte apoio do vice-presidente Biden à tecnologia e inovação ao longo de sua carreira”.

Mike Bloomberg quer regulamentação de Bitcoin e criptomoedas

O bilionário Mike Bloomberg entrou na corrida presidencial em novembro de 2019, prometendo “derrotar Donald Trump e reconstruir a América”.

Desde que o favorito da tecnologia – e grande defensor do Bitcoin – Andrew Yang desistiu da corrida presidencial, Bloomberg começou a falar sobre criptomoedas.

“As criptomoedas se tornaram uma classe de ativos no valor de centenas de bilhões de dólares, mas a supervisão regulatória permanece fragmentada e não desenvolvida”, escreveu a Bloomberg em uma nova proposta.

“Apesar de toda a promessa do blockchain, Bitcoin e ofertas iniciais de moedas, também há muito hype, fraude e atividade criminosa”. Como tal, Bloomberg está pedindo uma “estrutura reguladora clara” para criptoeconomia.

Mas, se for o caso, isso o alinha ao plano de Trump de combater a indústria, fazendo com que o Serviço Secreto fique de olho nela.

Enquanto isso, nesta terça-feira, está havendo uma votação para saber qual será o candidato que realmente competirá com Donald Trump, no momento da publicação desta matéria, Bernie Sanders e Joe Biden são os mais prováveis candidatos.

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Sair da versão mobile