A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) cortou as previsões para o crescimento econômico em 2020, avisando que o mundo terá sua menor expansão desde a crise em 2008.

O crescimento da economia irá ficar por volta de 3% entre 2020-2021, uma queda de 0,5% se compararmos com previsões de um ano atrás.

Segundo Laurence Boone, chefe economista da OCDE, tudo está se moldando para “a mais fraca porcentagem de crescimento desde a crise financeira”.

Boone observou que “nos últimos dois anos, os resultados e as perspectivas de crescimento global deterioraram-se constantemente, em meio à persistente incerteza política e aos fluxos fracos de comércio e investimento”.

Segundo Boone, os emergentes (como o Brasil) vão se recuperar apenas “modestamente”.