Cointimes
Blockchain

OpenSea se torna o mercado de arte mais valioso do mundo, avaliado em US$ 13 bilhões

OpenSea Arte NFT

Apenas quatro anos após seu lançamento, a plataforma de negociação de NFTs OpenSea já atingiu uma avaliação de mercado de mais de US$ 13 bilhões.

O que garantiu à OpenSea o título de mercado de arte mais valioso do mundo foi uma rodada de financiamento de US$ 300 milhões liderada pelos fundos de investimento da Coatue e Paradigm.

A valorização do mercado de arte digital também impulsionou o mercado de arte global em 2021. Charles Stewart, diretor executivo da casa de leilões Sotheby’s disse que isso foi culpa, em parte, dos novos compradores de arte digital, que “são jovens e globais”. 

Valuation de US$ 13,3 bilhões

Em uma publicação recente, Devin Finzer – cofundador da OpenSea – disse que a missão de sua empresa é se tornar o “mercado NFT mais amigável e confiável do mundo com a melhor seleção.” Para completar essa visão, a entidade levantou US$ 300 milhões em financiamento da Série C, colocando sua avaliação em colossais US$ 13,3 bilhões. 

Curiosamente, a OpenSea foi avaliada em US$ 1,5 bilhão apenas meio ano atrás. Naquela época, a principal empresa de capital de risco americana – Andreessen Horowitz – liderou uma rodada de financiamento de US$ 100 milhões. 

Outras empresas de capital de risco, como Paradigm e Coatue, lideraram o investimento atual. A OpenSea os descreveu como “parceiros, pensadores e construtores incríveis” que têm a capacidade de trazer “as melhores experiências de consumo da classe”.

Leia também: Samsung anuncia televisões que suportam plataforma NFT

A OpenSea revelou que vai distribuir os US$ 300 milhões para cumprir quatro objetivos diferentes. Em primeiro lugar, a empresa pretende acelerar o desenvolvimento de produtos. Como tal, já contratou Shiva Rajaraman como o novo VP de Produto da empresa. O executivo já trabalhou na Meta, YouTube, Apple e Spotify. 

Em segundo lugar, a OpenSea prometeu melhorar a política de suporte de seus clientes. “Já escalamos nosso suporte ao cliente e equipes de confiança e segurança para mais de 60 pessoas e esperamos mais do que dobrar essa equipe até o final deste ano”, informou Finzer.

Leia também: NFTs podem revolucionar o Spotify, sugere Saxo Bank

Terceiro, a empresa deseja investir no ecossistema NFT mais amplo. Ela acrescentou que, no primeiro trimestre de 2022, planeja lançar um programa de concessão que permitiria suporte direto para desenvolvedores, construtores e criadores, moldando o futuro do universo de tokens não fungíveis.

Impulsão do mercado de arte global a níveis recordes em 2021

O mercado de arte global teve um desempenho recorde em 2021, com bilhões de dólares sendo pagos por obras de impressionistas, artistas do pós-guerra e contemporâneos, e muito disso comprado por pessoas cuja riqueza encontra-se no meio digital.

De acordo com o Contemporary Art Market Report de 2021, US$ 2,7 bilhões em arte contemporânea foram vendidos em leilão nos 12 meses até junho, representando um “mercado mais forte, diversificado e denso do que nunca”. 

Os especialistas atribuem o mercado em expansão a pelo menos três fatores, que podem se sobrepor: jovens compradores “movidos por criptomoedas”; o crescimento do mercado asiático; e a crença de que a arte é um bom investimento em uma época de incertezas econômicas.

Pessoas que fizeram fortunas com criptomoedas e outras tecnologias “agora estão participando em níveis muito altos”, disse Charles Stewart, diretor executivo da casa de leilões Sotheby’s em entrevista ao The Guardian. “Eles são jovens e globais.”

A equipe da Sotheby’s recebe chamadas para lances fora do local, na frente de “Sixteen Jackies” de Andy Warhol, durante um leilão da The Macklowe Collection, na Sotheby’s em 15 de novembro de 2021 na cidade de Nova York. – Fonte: Yuki Iwamura

Em novembro, a Sotheby’s aceitou ofertas em ETH pela primeira vez na venda de duas obras de Banksy, Trolley Hunters e Love Is in the Air. Eles foram vendidos por US$ 6,7 milhões e US$ 8 milhões, respectivamente.

Os pagamentos de criptomoeda tornaram-se “uma alternativa viável à moeda fiduciária”, também disse Katharine Arnold, diretora de arte contemporânea e pós-guerra da Christie’s. 

“É verdade que o mercado está tendo um desempenho recorde, e certamente superando as expectativas da maioria das pessoas”.

O token não fungível (NFT) que superou qualquer expectativa: the First 5,000 Days de Mike Winkelmann, o artista digital conhecido como Beeple, foi vendido por US$ 69 milhões em março, tornando-o um “entre os três artistas vivos mais valiosos”, de acordo com a Arnold.

Detalhe da colagem digital do artista americano Beeple, que foi vendida pelo valor recorde de US$ 69 milhões – Fonte: Casa de leilões Christie’s

Os especialistas do mercado de arte dizem que a demanda reprimida em 2020 pela pandemia global de Covid saltou ao mesmo tempo em que as obras de arte procuradas foram sendo colocadas à venda.

“O mercado de arte é certamente espumante. E acho que o público da arte é maior do que nunca. Estamos vendo níveis recordes nos 277 anos de história de nossa empresa, ” concluiu Charles Stewart.

Leia Mais:

Posts relacionados

Acha que vai piorar? Veja como apostar contra o Brasil

Gustavo Marinho
8 de maio de 2020

2 trilhões “sonegados”, Bolsonaro entalado e Bitcoin vítima do sucesso

Neto Guaraci
27 de novembro de 2020

Impressoras HP tentam enviar dados à HP sobre os dispositivos e o que você imprime

Cointimes
7 de novembro de 2019
Sair da versão mobile