A cidade de Candiota sofreu um ataque hacker nesta segunda-feira (12/10) e os sistemas essenciais para o funcionamento da prefeitura estão desabilitados. 

O sistema de computadores da pequena cidade de Candiota-RS com apenas 9362 habitantes  foi alvo de um ataque ransomware. Ou seja, um ataque no qual os hackers criptografam (deixam inacessíveis) os dados do sistema e pedem um resgate, geralmente em bitcoin ou outra criptomoeda, para liberá-los. 

O ataque foi descoberto na segunda-feira (12), quando os servidores públicos não conseguiam lançar as receitas do mês de outubro. No dia seguinte, os hackers mandaram uma mensagem com um prazo para pagamento de bitcoins para liberar o sistema.

“A gente recebeu uma mensagem na terça-feira [13] dizendo que nós tínhamos um prazo de 24 horas pra pagar, em bitcoins que chamam, né? Que é a carteira digital para ter o sistema recolocado no ar de novo”

afirma o secretário de Administração e Finanças de Candiota, Alexandre Vedooto.

Segundo informações do G1, serviços como marcação de consultas e cirurgias estão fora do ar, assim como o resto da prefeitura. Contudo, a equipe de TI conseguiu colocar no ar o sistema de emissão de notas e está recuperando um backup de 1° de outubro para reiniciar os sistemas.

Veja também: Ransomware foi criado por um pesquisador de biologia da evolução que estudava sobre a AIDS

Uso de bitcoins como resgate

O uso da moeda digital bitcoin no pedido de resgate é comum para esse tipo de crime. A grande vantagem para o criminoso é que ele não precisa de uma conta bancária com CPF e RG. 

Qualquer pessoa pode participar da rede do bitcoin sem precisar de identificação. Apesar disso, as autoridades conseguem rastrear a moeda digital pois todas as transações são públicas. 

Apesar de mais cômodo, o uso do bitcoin ainda permite o trabalho investigativo – apesar de mais complexo que em uma transação bancária comum. Pelo que sabemos, a prefeitura não pagará o resgate.