Breaking News  
Prepare-se para o primeiro Netflix de serviços financeiros Finanças

Prepare-se para o primeiro Netflix de serviços financeiros

As fintech estão à beira de nos oferecer um menu personalizado de produtos, em vez de serviços único.

Isac Honorato
Isac Honorato

Serviços financeiros vão mudar? Antes, para você assistir um filme, você precisava ir ao cinema, uma locadora de vídeos ou esperar passar na TV, que poderia demorar anos.

Hoje em dia se você gosta de Hitchcock, documentários ou House of Cards, a Netflix cuida de tudo isso para você. Obrigado Netflix!

via GIPHY

James Poniewozik, escreveu para o New York Times que a Netflix é “um nicho incrivelmente amplo e microscópico ao mesmo tempo”.

Em 2019, os serviços financeiros vão atingir um ponto bem próximo e semelhante a Netflix. O que costumava ser uma abordagem desajeitada e única da parte dos bancos como empréstimos, seguros e investimentos se tornará mais simples, mais barata, mais pessoal e mais próxima dos consumidores.

Muitas fintechs que nasceram na última década, cresceram e estão se tornando adultas no ano de 2019. 

Sabe o que isso significa? Que elas não vão simplesmente imitar e melhorar o que os bancos fizeram – da mesma forma que a Netflix não construiu uma empresa de aluguel de filmes melhor.

Em vez disso começaremos ver mudanças no nosso comportamento da nossa vida financeira, assim como o Netflix mudou o jeito que assistimos TV.

Sinais de mudanças

Há alguns sinais que esta transformação está acontecendo. Várias fintechs recentemente se tornaram públicas e estão abordando valorizações dos maiores bancos.

A nova onda de empresas que surgiram na crise financeira de 2008 foi construída por jovens talentosos de vinte e poucos anos e essa diferença conquistou a confiança de milhões de cliente.

Eles estão causando um impacto real nas áreas de interesse das pessoas: ajudando consumidores a economizar, investir de forma mais inteligente, seguro, saúde, empréstimos. 

Em 2019, o controle sobre seu futuro financeira vai estar ao seu alcance mais do que nunca. 

Por exemplo nos EUA, empresas como a Robinhood, a Acorns, a Wealthfront e a Fundrise, tornaram mais baratas e fáceis as pessoas comuns investirem em ações, bolsa de valores e moedas.

Isso foi muito importante para os millennials, que cresceram no meio de uma crise e sem fé no setor financeiro. Em 2013, apenas uma a cada três pessoas nos Estados Unidos disse que possuíam ações. 

Números bons para os serviços financeiros

Mas esses números estão finalmente começando a subir, com uma pesquisa recente da Gallup, a proporção de pessoas com menos de 35 anos nos EUA com dinheiro no mercado de ações está próximo de 40%.

Em 2019, acreditamos que a crescente conscientização sobre as ofertas de fintech poderia significar que até metade dos millennials dos EUA investe em ações e participa desse crescimento.

via GIPHY

Enquanto isso, também podemos esperar que os bancos mais tradicionais e sérios tentem desesperadamente atrair nossa atenção com novas iniciativas.

Em 2019, os anciões do mercado começarão a fazer investimentos sérios, em vez de apenas instalar incubadoras ou hubs, onde eles apenas mexem com a inovação.

A JP Morgan,  lançou recentemente o “Finn”, uma conta bancária somente para smartphones para jovens adultos; ou “Canvas”, uma plataforma criada pelo Citi que permite aos clientes testar e co-criar novos produtos e serviços.

Você pode esperar que a velha guarda feche mais e mais ramos físicos e comece a vir com novas ofertas digitais brilhantes.

Mas tudo o que isso pode fazer é trazer mais pessoas on-line, onde os jogadores mais ágeis e mais novos podem competir.

O ano de 2019 também experimentará o financiamento, alcançando uma pegada global cada vez mais ampla, ao mesmo tempo em que se tornará cada vez mais adaptado.

No passado, as empresas tinham que oferecer uma ampla gama de serviços em um único local.

Mais e mais, porém, as empresas de tecnologia financeira se esforçarão para conquistar os clientes fazendo uma coisa muito bem, em tantos lugares quanto possível – assim como o conteúdo transmitido pode agora atender a preferências extraordinariamente específicas. Obrigado Netflix por abrir essa porta.

Fintech é frequentemente falado como uma revolução. Mas, na verdade, é mais uma democratização e personalização dos serviços financeiros que elevarão os padrões de maneira geral. E em 2019 isso vai significar uma boa notícia para todos.

Você pode esperar que a velha guarda feche mais e mais ramos físicos e compensar com novas ofertas digitais brilhantes. Mas tudo o que isso pode fazer é trazer mais pessoas on-line, onde os jogadores mais ágeis e mais novos podem competir.

O ano de 2019 também experimentará o financiamento, alcançando uma pegada global cada vez mais ampla, ao mesmo tempo em que se tornará cada vez mais adaptado.

No passado, as empresas tinham que oferecer uma ampla gama de serviços em uma única geografia, semelhante à maneira como os radiodifusores selecionariam programas para atrair o público mais amplo possível.

Mais e mais, porém, as empresas de tecnologia financeira se esforçarão para conquistar os clientes fazendo uma coisa muito bem, em tantos lugares quanto possível – assim como o conteúdo transmitido pode agora atender a preferências extraordinariamente específicas.

Fintech é frequentemente atrelado como uma revolução. Mas, na verdade, é mais uma democratização e personalização dos serviços financeiros que elevarão os padrões de maneira geral. E em 2019 isso vai significar uma boa notícia para todos.

Gostou do conteúdo? Quer receber mais análises como essa? Então se inscreva no canal do Cointimes no Youtube e siga o FacebookTwitter e Instagram.

Conteúdo traduzido pelo Cointimes do Wired

Isac Honorato
Isac Honorato

Editor e roterista do Conexão Satoshi e dos programas do Cointimes, eu fui responsável pela co-criação do Foxbit Educação, por todo o projeto de layout do Cointimes e do novo site da Foxbit. Sou nerd, designer, filmaker e especialista em marketing de conteúdo na Foxbit.

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.