Cointimes
Política

Presidenciáveis: o que esperar deles na economia?

presidenciáveis

O que esperar dos presidenciáveis na economia?

No Cointimes já apresentamos os economistas de cada presidenciável. Realmente são nomes com grande currículo e uma vasta experiência em economia, seja no setor público ou privado. Os economistas são convidados para colocar em prática o que o candidato à presidência pensa no que é melhor para o país. Nesse post você vai ficar sabendo, o que cada um dos presidenciáveis pensa e o que esperar deles na economia, caso um deles seja eleito. Os candidatos estão listados em ordem alfabética.

Caso queira saber mais sobre os economistas dos presidenciáveis:

https://cointimes.com.br/economistas-por-tras-dos-presidenciaveis/

Ciro Gomes

Ciro Gomes, candidato do PDT, defende que a industrialização do país é essencial para que o Brasil deixe a sua condição de país subdesenvolvido, gerando mais empregos para a população. Para isso, o candidato acredita em uma política de proteção da indústria interna, que consistiria em um câmbio atraente para exportadores e alíquotas de importação.

Ou seja, um estado mais atuante na economia através do aumento dos gastos públicos para financiar obras, parques industriais e geração de emprego.

O candidato afirma que o sistema previdenciário do Brasil não tem déficit, mas apoia uma reforma multifacetada favorável a novas entradas no mercado de trabalho e uma pensão mínima universal. Ciro Gomes concorda que a população mais pobre paga a maior parte dos impostos sobre consumo.

Por conta disso, ele é favorável a transferir esses impostos para outros setores como heranças e grandes fortunas. Ciro promete a criação de um imposto único para substituir o ICMS, ISS, IOF e IPI, conhecido como IVA (Imposto sobre Valor Agregado).

Ciro Gomes não é desfavorável à privatizações em geral, mas se opõe a venda da Petrobrás e Eletrobrás, empresas que acredita que são estratégicas.

No geral, Ciro Gomes está mais alinhado à visão desenvolvimentista, acreditando que o estado dever ter papel fundamental na condução da economia, promovendo o desenvolvimento e industrialização como uma forma de gerar de empregos. O candidato também defende um gasto menor no pagamento de juros da Dívida Pública.

Caso queira saber com mais detalhes as propostas do candidato em outras áreas, recomendamos assistir o vídeo abaixo:

Fernando Haddad

Fernando Haddad, candidato do PT, também acredita que o estado deveria ter um papel maior na condução da economia brasileira. Caso chegue à presidência, Fernando Haddad pretende criar um plano emergencial para retirar o Brasil da recessão. O candidato pretende estimular o consumo facilitando o acesso ao crédito, gerando mais empregos no setor de serviços.

Além disso, também acredita na retomada de obras públicas que estão paradas e propõe um plano de reindustrialização do país para aumentar a geração de empregos.

O candidato do PT também promete revogar a PEC do teto de gastos e a reforma trabalhista, propostas durante o governo Temer.

Fernando Haddad também apoia a criação de um imposto único para substituir o ICMS, ISS, IOF e IPI, o candidato promete a isenção de impostos para quem recebe até 5 salários mínimos e criar faixas de contribuição maiores para os mais ricos.

O candidato também pretende adotar regras para controlar a entrada de capital especulativo no Brasil e inibir a volatilidade do câmbio.

Por falar em câmbio, Haddad também pensa em criar um fundo de estabilização para combater a volatilidade do dólar e, ao mesmo tempo, manter um câmbio que ele define como competitivo. Em suma, o posicionamento econômico de Haddad é o mais alinhado com o Ciro Gomes, a tendência é que haja migração de votos caso um dos dois vá ao segundo turno.

Caso queira saber com mais detalhes as propostas do candidato em outras áreas, recomendamos assistir o vídeo abaixo:

Geraldo Alckmin

Geraldo Alckmin é o candidato do PSDB à presidência, caso chegue ao Planalto, pretende privatizar estatais para liberar mais recursos e aumentar a eficiência dessas empresas. Sua principal promessa é acabar com o déficit público em 2 anos, ou seja, o equilíbrio fiscal é uma de suas principais metas de seu plano de governo.

O candidato pretende abrir a economia ao comércio externo, de forma que ele represente 50% do nosso PIB. Além disso, Geraldo Alckmin pretende aumentar os investimentos em infraestrutura buscando parcerias com a iniciativa privada.

Alckmin também promete a criação de políticas para que o Norte e Nordeste explorem o seu potencial nas áreas de Turismo, Indústria, Agricultura, Energia Renovável e Economia criativa.

Sobre a tributação, Geraldo Alckmin também pretende simplificar a tributação através da criação de um único imposto, chamado IVA (Imposto sobre Valor Agregado). O novo imposto irá substituir os impostos existentes como: ICMS, ISS, IPI e IOF.

O candidato também pretende reduzir o Imposto de Renda para pessoas Jurídicas como uma maneira de trazer mais investimentos para o país. Geraldo Alckmin também é favorável à reforma da previdência criando um sistema único de aposentadoria para os setores público e privado.

Na economia, Geraldo Alckmin pretende adotar um mix entre estado como promotor do desenvolvimento e aumento do livre comércio.

Caso queira saber com mais detalhes as propostas do candidato em outras áreas, recomendamos assistir o vídeo abaixo:

Jair Bolsonaro

O candidato do PSL acredita que o estado deva assumir um papel menor na economia, ou seja, um estado menos intervencionista na economia. Bolsonaro acredita que o estado não deveria criar tanta burocracia para empreendedores. Além disso, o candidato defende corte de gastos em áreas que entender desnecessárias.

Sobre a previdência, ele é a favor de uma reforma no sistema previdenciário brasileiro. O candidato diz que vai criar um modelo de “capitalização” alternativo à Previdência tradicional, para o qual “reformas serão necessárias”. Bolsonaro alerta que a previdência brasileira pode entrar em colapso em um futuro bem próximo.

Bolsonaro apoia um Banco Central com maior autonomia do que existe hoje, o que seria um modelo semelhante com o FED, banco central americano. Caso chegue à presidência, seu banco central terá metas de inflação melhor definidas e a manutenção da diretoria atual.

O candidato entende que a carga tributária é muito alta no Brasil. Para resolver o problema, Bolsonaro propõe uma reforma tributária defendida pelo candidato do PSL prevê simplificação e unificação de tributos federais e a descentralização e municipalização de impostos.

Bolsonaro também é contra a tributação de lucros e dividendos. Enfim, o candidato do PSL está mais alinhado com um plano econômico mais liberal baseado em privatizações, desburocratização, cortes de gastos e reforma tributária. Através dessas medidas, o candidato pretende oferecer um país com menos burocracia para gerar novos empregos e novos negócios.

Caso queira saber com mais detalhes as propostas do candidato em outras áreas, recomendamos assistir o vídeo abaixo:

João Amoêdo

João Amoêdo, candidato do Novo, talvez seja o mais liberal no campo econômico. Caso eleito, o candidato promete privatizar empresas públicas, como Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Correios. Uma de suas promessas é o equilíbrio das contas públicas através do corte de despesas e privilégios de políticos.

O candidato do Novo é a favor da reforma da previdência com idade mínima de 65 anos. Ele pretende criar regras iguais de aposentadoria para funcionários públicos e privados. Instituir a contribuição obrigatória para trabalhadores rurais. Amoêdo também vai rever benefícios de pensão e eliminar acúmulos de benefícios.

No campo da tributação, o candidato também defende tributar menos no consumo e simplificar os impostos através do IVA (Imposto sobre Valor Agregado). É contra a taxação de lucros e dividendos, grandes fortunas e heranças. Ele também pretende descentralizar a gestão dos recursos públicos, dando maior autonomia para municípios e estados.

Com suas propostas, fica claro que o candidato acredita que a recuperação econômica se dará através de uma economia mais estável para a criação de empregos e com maior facilidade para abertura de novos negócios. Ou seja, o candidato é a favor de um mercado mais livre com o estado em segundo plano oferecendo apenas um ambiente seguro para criação de riqueza.

Caso queira saber com mais detalhes as propostas do candidato em outras áreas, recomendamos assistir o vídeo abaixo:

Marina Silva

Marina Silva, candidata pelo partido REDE, concorre pela terceira vez à presidência. Seu plano de governo consiste em controlar os gastos públicos, de forma que eles não ultrapassem 50% do PIB. No entanto, a candidata é contra a emenda de teto dos gastos públicos aprovada por Michel Temer em 2016, que reajusta os gastos públicos pela inflação. Ela defende a autonomia do Banco Central, superávit primário, câmbio flutuante e regime de metas para inflação.

A candidata também promete realizar a reforma da previdência já no começo do seu governo. Sua reforma irá combater o problema dos privilégios nas aposentadorias, que consistem em aposentados ganhando muito acima do teto. Marina também pretende fazer transição para aqueles que estão próximos de se aposentar e aqueles que estão entrando no futuro regime.

Em tributação, Marina promete não elevar a carga tributária, que acredita que já chegou ao máximo. No entanto, pretende adotar tributação sobre dividendos com redução simultânea do IRPJ (Imposto de Renda sobre Pessoas Jurídicas). A candidata pretende elevar da alíquota do imposto sobre herança. Em conjunto com todos os outros candidatos, Marina também defende a criação do IVA como forma de substituir o IOF, ICMS, ISS e IPI.

Marina Silva também promete acabar com subsídios para grandes empresas e revisar as renúncias fiscais. A candidata também promete analisar a privatização da Eletrobrás mas é contra a privatização da Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica. Marina também promete criar uma instância de governo para atrair o setor privado para atuar no setor de infraestrutura.

Caso queira saber com mais detalhes as propostas do candidato em outras áreas, recomendamos assistir o vídeo abaixo:

Este tipo de conteúdo é relevante para você ou alguma pessoa que você conhece? Se for, siga e compartilhe a página do Cointimes e se mantenha sempre atualizado no mercado – FacebookTwitterInstagram.

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Posts relacionados

Em vez do STF, blockchain poderia intermediar conflitos entre indígenas e ruralistas

Bruno Haacke
31 de agosto de 2021

Depois de regulamentação, “exchange anônima” ganha volume no Brasil

Neto Guaraci
17 de setembro de 2019

Você tira suas dúvidas sobre tributação de bitcoin no Google? Cuidado!

Cointimes
6 de março de 2020
Sair da versão mobile