Quem poderia imaginar que um Oferta Inicial de Ações (IPO em inglês) regulamentada pela SEC aceitaria bitcoin como forma de pagamento? É isso que está acontecendo nos Estados Unidos e pode abrir os portões para uma revolução no mercado de ações. 

Em 2017, o projeto de exchange INX entrou em contato com as empresas de advocacia Ernst & Young, McDermott, Will & Emery para juntas criarem um plano para convencer a SEC (órgão que regula o mercado de ações nos EUA) a aceitar os ativos digitais como uma realidade. 

Vale lembrar que em 2017/2018 aconteceu a bolha das Initial Coin Offerings, na qual projetos ofereciam tokens em blockchain para se financiar. Falamos mais sobre esse tema no texto “O que é um ICO?”. Foram bilhões de dólares investidos e muitos projetos eram fraudulentos ou simplesmente não deram certo.

Um preço caro para um IPO

Já o INX queria ser diferente, a chancela dos órgãos reguladores era imprescindível e também da comunidade de criptomoedas. E o preço foi caro para ter ambos. Após 2 anos de muito trabalho com os órgãos reguladores, finalmente eles conseguiram lançar neste ano um IPO em blockchain e recebendo ether e bitcoin.

Já na parte da comunidade de criptomoedas, eles compraram o apoio de figuras que eram não apenas contra ICOs, mas sempre se mostraram adversárias a interferência governamental nos investimentos, como os desenvolvedores James Lopp e Charles Lee. 

Entretanto, as conversas com a SEC, desenvolvedores da comunidade e famosas empresas de advocacia geraram frutos. 

“O resultado das muitas conversas que ocorreram entre nós, nossos advogados, nossos auditores e a SEC durante 953 dias foi nosso F-1. Nosso F-1 agora funciona como um roteiro para qualquer empresa que deseja listar um token de segurança líquido. Nosso F-1 abre o mundo para “Securities Tokens 2.0” – uma versão aprimorada do 1.0 limitado.”

, disse a INX.

F1 e um novo padrão de IPO

Os tokens F1 são ativos digitais securitizados que podem ser negociados por qualquer um, contudo, existe um contrato inteligente que assegura os requerimentos de KYC e AML.

“Com nosso contrato inteligente agindo de forma autônoma para garantir que nenhum INX Token seja movido para uma carteira que não tenha passado por KYC / AML e tenha sido incluída na lista de permissões por nós. O INX Token é a primeira security dos EUA em que a propriedade prova que você foi aprovado no KYC / AML.”

As novas tecnologias de smart contracts permitem a redução de custos, maior transparência e automação de processos nas ações digitalizadas em blockchain. Todas essas vantagens fizeram Jay Clayton – diretor da SEC – a declarar:

“Talvez todos as ações possam se tornar tokens em blockchain”

O novo padrão F-1 de token pode modificar completamente o cenário de IPOs no mundo todo nos próximos anos. Com a trajetória histórica do Brasil em copiar processos regulatórios no mercado de ações dos EUA, é bem possível que essa nova maneira de investir chegue em terra tupiniquins em alguns anos. 

Finalmente, Wall Street está se curvando à tecnologia do bitcoin.

Veja também: Se você tivesse investido R$ 1000 em cada IPO e ICO de 2020, quanto teria hoje?