Os proeminentes desenvolvedores do Bitcoin Core, Pieter Wuille e Greg Maxwell, criaram uma Proposta de Melhoria de Bitcoin (BIP), que envolve o desenvolvimento de um protocolo de retransmissão que efetivamente reduziria o tamanho da “largura de banda de transação” usada pela rede Bitcoin (BTC).

Referido como Erlay, o BIP também foi desenvolvido com contribuições de Gleb Naumenko, pesquisador da University of British Columbia. De acordo com as especificações da proposta, sua ativação reduzirá a quantidade de largura de banda necessária para processar transações de bitcoin em aproximadamente 75%.

Como isso será possível?

Como explicado por Naumenko em um email enviado para CoinDesk:

A ideia principal [por trás de Erlay] é que, em vez de anunciar todas as transações para todos os pares [na rede Bitcoin], os anúncios são enviados diretamente sobre um pequeno número de conexões (apenas 8 de saída).

A retransmissão é feita executando periodicamente um protocolo de conciliação definido em cada conexão entre os conjuntos de anúncios retidos em ambas as direções.

Naumenko, ex-engenheiro de software da Blockstream, também mencionou que a implementação do novo BIP “poupará metade da largura de banda” consumida pelos nós da rede Bitcoin.

Conteúdo recomendado:

→ Quer aprender a detectar oportunidades de valorização como essas? Veja nosso relatório sobre o mercado de altcoins.

→ Também possuímos um relatório para quem quer investir em bitcoin

Além disso, a integração do Erlay permitirá “aumentar a conectividade quase de graça e, como um efeito colateral, suportar melhor os ataques de timing”, revelou Naumenko.

Ele acrescentou que, se a contagem de pares externos do blockchain do BTC fosse aumentada para 32, “Erlay seria capaz de” economizar cerca de 75% da largura de banda geral em comparação com o protocolo atual “.

Como observado pelos autores do BIP, um resultado importante do último BIP é que ele permitiria que os nós da rede Bitcoin aumentassem o número de conexões ativas que eles têm com outros nós. Isso, segundo os desenvolvedores da proposta, seria possível se / quando o Erlay estiver integrado ao protocolo Bitcoin.

“Endurecimento” do Blockchain do Bitcoin contra ataques

Atualmente, a segurança do blockchain do Bitcoin depende, até certo ponto, dos nós participantes da rede descentralizada.

Dada a capacidade de Erlay de aumentar potencialmente o número de conexões entre os nós da plataforma de criptomoeda, os desenvolvedores do protocolo acreditam que “endurecerá” o blockchain do Bitcoin contra ataques mal-intencionados.

Conforme detalhado por Naumenko:

O exemplo mais trivial é o ataque do Eclipse, quando um nó de destino fica isolado da cadeia mais longa, porque todas as suas conexões são estabelecidas com um invasor.

Nesse caso, um invasor, por exemplo, pode fazer um nó de destino acreditar que pagou o nó de destino (mostrar cadeia mais curta com essa transação), sem realmente enviar transações para a cadeia mais longa.

Comentando mais sobre como e quando Erlay pode ser adicionado à base de código do Bitcoin Core, Naumenko disse que ele havia discutido o BIP com vários outros desenvolvedores de Bitcoins. Ele revelou que o feedback geral que recebeu foi “geralmente positivo”.

No entanto, a maioria dos colaboradores do BTC acredita que mais experimentos e testes são necessários antes de integrar o Erlay na base de código do bitcoin.

De: Cryptoglobe