O presidente russo, Vladimir Putin, disse que a Rússia está militarmente pronta para uma crise no estilo dos mísseis cubanos se os Estados Unidos quiserem uma e ameaçar colocar mísseis nucleares hipersônicos em navios ou submarinos perto das águas territoriais norte-americanas.

A crise dos mísseis de 1972

A crise dos mísseis cubanos eclodiu em 1962, quando Moscou respondeu a um destacamento de mísseis dos EUA na Turquia, enviando mísseis balísticos para Cuba, o que provocou um impasse que levou o mundo à beira de uma guerra nuclear.

Mais de cinco décadas depois, as tensões estão subindo novamente devido aos temores russos de que os Estados Unidos possam implantar mísseis nucleares de alcance intermediário na Europa.

Se os EUA quiserem, Putin disse que vai acompanhar

Os comentários de Putin, feitos na quarta-feira à mídia russa, seguem seu aviso de que Moscou atenderá a qualquer iniciativa dos EUA de implantar novos mísseis mais próximos da Rússia.


Quer ganhar Bitcoins?
A gente te ajuda nisso.
Abra uma conta grátis!


 

Ele pretende colocar seus próprios mísseis mais próximos dos Estados Unidos ou usar mísseis mais rápidos, ou ambos.

Putin detalhou seu aviso pela primeira vez, dizendo que a Rússia poderia implantar mísseis hipersônicos em navios e submarinos que poderiam se esconder fora das águas territoriais norte-americanas caso Washington se movesse agora para implantar armas nucleares de alcance intermediário na Europa.

“Estamos falando de veículos navais: submarinos ou navios de superfície. E nós podemos colocá-los, dada a velocidade e alcance (dos nossos mísseis) … em águas neutras.”

“Além disso, eles não são estacionários, eles se movem e eles terão que encontrá-los”, disse Putin, de acordo com a transcrição do Kremlin.

Apesar disso, Putin não quer uma corrida armamentista

Putin disse que não quer uma corrida armamentista, mas não teria escolha a não ser agir se Washington enviasse novos mísseis na Europa, alguns dos quais, segundo ele, poderiam atingir Moscou dentro de 10 a 12 minutos.

Os Estados Unidos atualmente não possuem mísseis nucleares de alcance intermediário baseados em terra, que poderiam ser colocados na Europa, mas poderiam desenvolvê-los e implantá-los.

Putin disse que sua resposta naval a essa medida significaria que a Rússia poderia atingir os Estados Unidos mais rápido do que os mísseis americanos desdobrados na Europa poderiam atingir Moscou, porque o tempo de voo seria mais curto.

“O cálculo não seria a favor deles, pelo menos do jeito que as coisas estão hoje. Isso é certo ”, disse Putin.

As relações entre Moscou e Washington foram tensas, acrescentou, mas as tensões não eram comparáveis ​​às da crise dos mísseis cubanos.

“Elas (as tensões) não são uma razão para aumentar o confronto nos níveis da Crise dos Mísseis Cubanos nos anos 60. De qualquer forma, isso não é o que queremos”, disse Putin.

“Se alguém quiser isso, bem, são bem-vindos. Determinei hoje o que isso significaria. Deixe-os contar (os tempos de voo do míssil).”

Você gostou desse conteúdo? Nós temos muito mais! Siga e compartilhe a página do Cointimes para se manter atualizado com os conteúdos mais relevantes. Estamos em todas as mídias sociais também: FacebookTwitterInstagram.

Fonte: Reuters


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!