O Departamento de Cibersegurança dos Estados Unidos emitiu um alerta para todas as indústrias de infraestrutura crítica (aviação, petróleo e outras) com recomendações contra Ransomwares.

Veja também: Ransomware, a história que não te contaram

O alerta chega depois de um ataque devastador à Guarda Costeira dos Estados Unidos. O vírus conseguiu desativar câmeras de segurança, sistemas de controle e fechou por mais de 30 horas o serviço de TI.

O mesmo programa, nomeado de Ryuk, também afetou instalações de controle de um gasoduto. Em ambos os casos ele conseguiu se espalhar usando um link malicioso dentro de um e-mail direcionado.

Entretanto, o Departamento destacou que o ataque não afetou nenhum controlador lógico programável (PLCs) da instalação e que a vítima não perdeu o controle de suas operações.

Porém, após o incidente, é relatado que a empresa iniciou um desligamento deliberado da operação, resultando em perda de produtividade e receita. Vale notar que o ataque se limitou apenas a máquinas com Windows e a companhia conseguiu se recuperar rapidamente e substituir os computadores infectados.

Os incidentes aconteceram em dezembro de 2019, contudo, só agora o governo soltou o alerta com as recomendações.

Ransomware, um problema crescente

Os ataques de ransomware cresceram 300% em 2019 e são uma das maiores ameaças aos dados de uma empresa e até mesmo pessoais.

Para mitigar os riscos de perda de dados é recomendado fazer sempre backups redundantes e ficar atento com e-mails e links suspeitos.

Veja também: Cidade paga 42 bitcoins para se livrar de hackers