Cointimes
Bitcoin

Se bancos colocassem 1% dos seus ativos em BTC, o preço poderia subir para US$ 20 mil – diz analista

Wall Street Fundos de hedge pedem resgate

Um número crescente de investidores de Wall Street revelou que está mantendo o Bitcoin como um hedge depois de considerar as características e o desempenho do ativo. Suas posições são pequenas, na maioria dos casos, representando 1-3% de seu portfólio.

Isso pode não parecer muito. Mas um analista recentemente pontuou que algumas pequenas percentagens aqui e ali podem fazer muita diferença no final das contas.

Recentemente, o órgão regulador bancário dos EUA permitiu o serviço de custódia de criptos pelos bancos. Isso significa que os bancos já estão investindo no mercado, mas silenciosamente.

Resumo da matéria:

Como o Bitcoin poderia dobrar de preço

De acordo com o gestor de ativos digitais Charles Edwards, o Bitcoin poderia mais que dobrar na seguinte condição: “Se os bancos dos EUA colocassem apenas 1% de seus ativos no Bitcoin como investimento, hedge ou seguro…”

Edwards fez esse comentário em referência a um gráfico do conselho FRED do Federal Reserve, que sugere que os bancos comerciais dos EUA possuem US$ 20 trilhões em ativos.

Este, é claro, é um cenário teórico. Mas Edwards disse que “não é difícil ver para onde isso está indo”, referenciando a acumulação de Bitcoin da Grayscale Investments.

Enquanto isso, o analista sênior de commodities da Bloomberg, Mike McGlone, disse em um relatório de junho:

“O Bitcoin está espelhando o retorno de 2016 ao seu pico anterior. Essa foi a última vez que a oferta foi reduzida pela metade e, no terceiro ano após um pico significativo… Avançando quatro anos e o segundo ano após a queda de quase 75% em 2018, o Bitcoin alcançará o recorde de cerca de US$ 20.000 este ano, em nossa visão, se seguir a tendência de 2016″.

Dobrar de preço é pouco

Embora os investidores de Bitcoin acreditem em uma mudança para US$ 20.000, dezenas de bilhões de dólares entrando no BTC provavelmente mais que dobrariam os preços.

A análise descobriu que sempre que um investidor coloca US$ 1 no mercado de BTC, a capitalização de mercado do ativo sobe mais do que esse dólar. Isso é chamado de “amplificador fiat” ou “multiplicador fiat”, e é um subproduto da liquidez desse mercado nascente.

O proeminente trader Alex Kruger comentou o porquê deste amplificador existir no início de 2019:

“Invista uma quantia relativamente grande em um pequeno ativo (em termos de $), onde uma fração significativa também não é líquida (ou seja, não é negociada, fica fora das exchanges) => os preços disparam.

O fornecimento fixo agrava o impacto. Outra maneira de analisar isso: deseja comprar 1.000 BTC (US$ 3,8 milhões) no mercado na Coinbase? Você precisa cruzar o spread de compra e venda. Isso resultaria em um prêmio de aproximadamente 10%.”

Há um debate sobre o que exatamente é esse amplificador para o Bitcoin. Os cálculos feitos em 2018 colocam o valor entre duas e 117 vezes, sendo este último estimado pelo JP Morgan.

Supondo uma estimativa “conservadora” de cinco vezes, uma injeção de capital de US$ 200 bilhões no mercado de Bitcoin poderia levar a esse mercado para um marketcap de mais de US$ 1 trilhão. Isso implicaria um preço superior a US$ 60.000 por moeda.

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Posts relacionados

Investidora que vai debater com Elon Musk compra mais de 420 BTC

Gustavo Marinho
21 de julho de 2021

Tezos sobe 40% com listagem na Coinbase e expansão no Brasil

Neto Guaraci
9 de agosto de 2019

Bitcoin se aproxima dos R$43 mil com alta de 16% na semana

Cointimes
27 de abril de 2020
Sair da versão mobile