Cointimes
Política

Temendo de ser podada no sistema SWIFT, Rússia cogita alternativas em blockchain

Temendo de ser podada no sistema SWIFT, Rússia cogita alternativas em blockchain

Segundo Alexander Pankin, vice-chefe do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, em conversa com a RIA Novosti, o desenvolvimento de blockchains e moedas digitais mostram que, no futuro, as liquidações globais podem ocorrer em uma nova plataforma tecnológica, em vez da atual rede de pagamentos SWIFT, controlada pelo governo americano.

Pankin disse que as alternativas futuras ao SWIFT serão mais avançadas e não dependerão de monopólio e que isso “não é só uma resposta à atual realidade geopolítica, mas também uma resposta à necessidade de modernizar os métodos pagamentos tendo em conta as conquistas avançadas na esfera digital”, afirmou Alexander.

A declaração foi feita depois que as autoridades do país expressaram preocupações recentemente de que os países ocidentais possam isolar a Rússia do SWIFT. No final de março, o secretário de imprensa do presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que o Kremlin “não pode descartar” essa ameaça.

Temores de que a Rússia seja cortada do SWIFT foram expressados ​​depois que o país sofreu sanções em 2014 após anexar a península da Crimeia. Naquela época, a primeira rodada de sanções levou à criação de um sistema nacional de pagamentos que funcionaria mesmo se o SWIFT não estivesse mais disponível no país.

Essas preocupações aparentemente aumentaram à medida que a relação entre a Rússia e o Ocidente se deteriorou, depois que o crítico mais veemente de Putin, Alexey Navalny foi preso após divulgação de documentário expondo a vida do presidente russo. No momento, Navalny está em uma colônia penal.

O Bitcoin como alternativa

Apesar de não ter sido mencionado pelas autoridades russas, o Bitcoin poderia ser facilmente utilizado como alternativa ao sistema SWIFT americano. A criptomoeda fornece uma rede monetária sólida, resistente à censura que poderia ser utilizada como alternativa pelo Estado russo para realizar pagamentos internacionais.

Não seria a primeira vez que o estado russo se envolveria com a criptomoeda. A petroleira  monopolista Gazprom iniciou ano passado planos para implantar uma mineradora de Bitcoin junto a uma de suas subsidiárias. Tal adoção por parte de um governo seria um dos grandes marcos de adoção da criptomoeda. 

Leia mais: Primo Rico apaga tweets sobre ReAU, que caiu 80%, mas internet não esquece

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Sair da versão mobile