Uma nova mudança foi inserida ao código do cliente Bitcoin Core, mas ela não otimiza as transações nem resolve algum bug, em vez disso ela apenas troca uma palavra que poderia ser considerada ofensiva para algumas pessoas.

“Vamos usar uma palavra mais apropriada e clara e descartar o uso de “blacklist” (lista negra). “Blocklist” (lista de bloqueio) é claro e deve deixar todos felizes.”

sugeriu o usuário TrentZ no repositório do código do Bitcoin Core.

Os termos fazem alusão a um mecanismo de controle de acesso na programação, e altera somente um termo em todo o código do Bitcoin, que agora é mais politicamente correto. Em seguida, a desenvolvedora do Bitcoin Amiti Uttarwar, uma mulher negra, apoiou a proposta.

Após ela, o desenvolvedor Michael Folkson também comentou, mas desaprovando a mudança. “Se houvesse consenso entre os contribuintes negros existentes no ecossistema, de que eles acharam [o termo] ofensivo, eu reconsideraria. Acho que eles diriam que têm coisas melhores a fazer do que perder seu tempo discutindo sobre termos que evitam cores (whitelist/blacklist).”, adicionou ele.

Mas enquanto a maioria se posicionou de forma indiferente, afinal a proposta não mudaria em nada o funcionamento da criptomoeda, o desenvolvedor Marco Falke implementou a sugestão ao código principal, comentando:

“Olhando para as 400 solicitações de mudanças em aberto, claramente faltam desenvolvedores para revisar o código. A simples possibilidade de um desenvolvedor ser ofendido/discriminado direta ou indiretamente por comentários de código ou nomes de símbolo é um risco que não podemos correr.

Bitcoin Core é um projeto internacional e se houver duas palavras semelhantes em inglês, devemos sempre escolher a palavra que é mais provavelmente entendida pela maioria dos falantes internacionais de inglês. O código deve ser auto documentado e os nomes das variáveis devem ser autoexplicativos.”

Os termos que remetem à cor da pele poderiam ser considerados ofensivos devido a sua carga histórica, como levantou Luke Jr., ressaltando que “a definição primária de “lista negra” é “uma lista de pessoas que são desaprovadas ou devem ser punidas ou boicotadas”, e [isso] causou alguma confusão anteriormente devido à natureza do Bitcoin se opor a tal censura.”

Sobre essa questão, Folkson respondeu que o termo “blocklist” seria tão confuso quanto. “Bloqueado de quê? De usar a rede Bitcoin? O fato de termos block(chain)s torna a blocklist provavelmente mais confusa.”, alegou ele.

Mas enquanto a discussão continuava com mais desenvolvedores contrários à mudança, o tópico foi considerado “resolvido” e a conversa foi limitada no github. “Esta alteração foi revisada e apoiada por vários contribuidores regulares e foi implementada há duas semanas.”, concluiu John Newbery.

Quando Falke aceitou a mudança, ele já havia ressaltado que “deixar [esse tópico] aberto por mais tempo atrairá, a longo prazo, apenas discussões acaloradas fora de tema, desperdiçando o tempo de nossos revisores.”

Mas qual a sua opinião sobre essa mudança no código do Bitcoin, é positivo que o time do Core esteja adotando terminologias mais politicamente corretas? Deixe seu comentário abaixo.