Todo mundo está falando sobre bitcoin. Mas “todo mundo” ainda é muito pouco, se seguirmos a curiosidade nos dados do maior buscador do planeta envolvendo a mais bem sucedida moeda digital.

Explico: cada vez que o bitcoin “atinge” de forma massiva as pessoas que ainda não têm muita familiaridade com seu conceito, chovem buscas pelo termo no Google. Geralmente na frase “o que é bitcoin?” ou “como comprar bitcoin?”. E podemos tranquilamente chamar a gigante mídia dos canais abertos de televisão como uma das formas de atingir um público volumoso.

Durante esta semana, a TV Globo mostrou em uma matéria no Jornal Nacional um caso de atuação de uma quadrilha que invadia contas bancárias e armazenava o valor surrupiado em bitcoins. Mais uma vez os termos, conteúdo e forma de apresentação do assunto tiveram um viés negativo na mídia, mas o fato é que o “falem bem, falem mal, mas falem de mim” funciona no quesito curiosidade.

https://cointimes.com.br/extra-bandidos-usam-bitcoin-para-roubar-manchetes/

A imagem abaixo mostra o pico atingido de buscas no Google nos minutos seguintes à exposição da matéria na rede aberta para uma das maiores audiências da televisão brasileira.

Pico na busca por “bitcoin” e termos relacionados no horário do Jornal Nacional, da TV Globo

Essa foi uma situação bastante impactante em outros momentos, como a matéria do Fantástico, também da TV Globo, em 25 de março deste ano. Os longos doze minutos da reportagem mostraram diversos aspectos da criptomoeda em um viés positivo, quase que de forma inédita.

Era inevitável: o pico de buscas nessa ocasião foi tamanho que as exchanges também puderam perceber um aumento no número de cadastros nas horas e dias subsequentes à divulgação da matéria em programa nobre do gigantesco canal.

Aumento significativo no interesse por “bitcoin” nas pesquisas online após matéria no Fantástico
A “hype” do final de 2017 com o bitcoin impede que se possa salientar a influência das muitas matérias da época sobre a criptomoeda

 

O que isso, e os outros gráficos apresentados aqui (de forma visual fica bastante didática a percepção) querem dizer?

Bom, que ainda existe muito chão (e isso é ótimo!) a ser explorado no mercado brasileiro em geral. Há todo um terreno de compreensão a ser percorrido sobre as criptomoedas em geral e seus benefícios, características e aplicação na rotina das pessoas.

https://cointimes.com.br/como-funciona-o-bitcoin/

O bitcoin permanece um objeto de curiosidade e de grande desconhecimento, assim como o próprio mercado financeiro para os brasileiros. Mas talvez pela simplicidade de se lidar com a criptomoeda pela ausência de taxas abusivas e de burocracia, além da agilidade nas transações, o cenário seja uma maior aproximação das pessoas com essa realidade do futuro e um distanciamento do sistema financeiro tradicional.

Por enquanto, podemos dizer que a curiosidade ainda está sendo aguçada, e respostas e soluções estão sendo criadas diariamente.