Cointimes
Fintechs e Startups

Uber teve prejuízo de US$ 1,8 bi em 2018

Uber

A Uber teve prejuízo de US$ 1,8 bi. A startup mais valiosa dos Estados Unidos, está se encaminhando para o muito esperado IPO (Oferta Pública Inicial).

Uber teve prejuízo, mas ele é menor

A empresa perdeu US $ 1,8 bilhão em 2018, o primeiro ano completo sob o comando do novo CEO Dara Khosrowshahi, de acordo com os resultados financeiros da empresa para 2018 divulgados na sexta-feira.

O número impressionante representa uma melhora modesta em relação ao ano anterior, quando registrou perdas de US $ 2,2 bilhões.

Enquanto as perdas do Uber diminuíram, o mesmo aconteceu com o crescimento das vendas. Sua receita atingiu US $ 3 bilhões nos últimos três meses de 2018, um aumento de apenas 2% em relação ao trimestre anterior e de 25% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Em comparação, a receita da Uber no trimestre de setembro aumentou 38% em relação ao ano anterior. Sua receita trimestral de junho cresceu 63% em relação ao ano anterior.

Em 2018, a empresa vendeu seus negócios no Sudeste Asiático para a Grab e fundiu seus negócios na Rússia com a Yandex. As finanças da empresa excluem o impacto dessas vendas nos negócios da Uber.

Investidores esperam crecimento rápido

O contínuo declínio no crescimento de vendas pode gerar um alarme para potenciais investidores em Wall Street, que esperam ver um negócio com um crescimento estratosférico para justificar o valuation de US $ 120 bilhões.

Tem sido amplamente divulgado que a empresa apresentou sigilosamente documentos iniciais para abrir o capital. Khosrowshahi disse repetidamente que a empresa procuraria se tornar pública em 2019.

Khosrowshahi assumiu como CEO em meio a um período de incrível turbulência na empresa, que incluiu assédio sexual e alegações de discriminação de gênero, um processo confuso com Waymo, papéis executivos vagos e motoristas à beira da revolta.

Ele foi trazido para ajudar a limpar a empresa. Ele ajudou a Uber a investir em áreas além dos carros, como compartilhamento de bicicletas e scooters, além da entrega de alimentos. E essas novas áreas de negócios são pontos brilhantes no futuro da empresa, segundo a Uber.

“Em 2018, nosso negócio de compartilhamento de caronas manteve a liderança da categoria em todas as regiões que atendemos, a Uber Freight ganhou força nos Estados Unidos, JUMP e-bikes e e-scooters estão na estrada em mais de uma dúzia de cidades.

“Acreditamos que a Uber Eats se tornou a o maior negócio de entrega de comida on-line fora da China, com base em nossas receitas brutas”, disse o diretor financeiro da Uber, Nelson Chai, em um comunicado.

Notavelmente, a empresa não divulgou os números do serviço de entrega da Uber Eats durante o quarto trimestre deste ano.

A Uber destacou anteriormente o forte crescimento da Eats durante os resultados do terceiro trimestre: As receitas brutas para o serviço superaram US $ 2 bilhões no trimestre, um salto de mais de 150% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Traduzido e adaptado de: CNN Business

Posts relacionados

Bitcoin Banco deve mais de R$ 600 milhões a 6 mil clientes

Cointimes
6 de novembro de 2019

Bitmain vai tornar as mineradoras de Bitcoin mais “acessíveis”

Cointimes
16 de dezembro de 2019

Nem Ana Paula Arósio salvou Santander do Nubank na disputa pelo PIX

Neto Guaraci
15 de outubro de 2020
Sair da versão mobile