Cointimes
Bitcoin

Maduro desafia os EUA e vai usar criptomoedas no comércio internacional

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, apresentou nova lei para possibilitar o uso de criptomoedas no comércio internacional.

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, apresentou nova lei para possibilitar o uso de criptomoedas no comércio internacional. Em discurso ele afirmou:

A lei anti-sanções é a primeira resposta a dar nova força ao uso de petro e outras criptomoedas, nacionais e globais, no comércio interno e externo, para que todas as criptomoedas do mundo, estatais e privadas, pudessem ser utilizadas. Este é um projeto importante que está em desenvolvimento.

Em agosto de 2019, os EUA impuseram fortes sanções econômicas ao regime venezuelano e seus líderes. A ordem executiva assinada por Donald de Trump congelou os ativos da Venezuela bem como excluiu o país do sistema internacional de pagamentos (SWIFT).

Todas as propriedades e interesses em propriedade do Governo da Venezuela que estão nos Estados Unidos … estão bloqueados e não podem ser transferidos, pagos, exportados, retirados ou de outra forma negociados.

Disse à ordem executiva de Trump.

Venezuela e bitcoin, amor e ódio

A Venezuela segue com uma relação de amor e ódio com o ecossistema das criptomoedas. Recentemente, a mineração de criptos no país foi legalizada, desde que os mineradores se conectem à pool estatal do governo e declarem todas os detalhes da atividade.


A hiperinflação causou um verdadeiro caos econômico e deixou milhões de venezuelanos na miséria. A alternativa que muitos encontraram para fugir desse pesadelo foram as criptomoedas. O volume de movimentações p2p no país cresceu exponencialmente nos últimos anos, sendo a Venezuela o terceiro no ranking de adoção das criptomoedas no mundo.

           Volume de Bitcoin na LocalBitcoins Venezuela

Pouco antes, Maduro já havia comentado sobre a possibilidade de se aceitar pagamentos em criptomoedas em todos os setores da economia, apesar delas já serem muito utilizadas no mercado negro. 

O ministro das finanças e o banco central da Venezuela têm novos instrumentos que vamos ativar muito em breve para que todos possam fazer transações bancárias, bem como pagamentos nacionais e internacionais através das contas do banco central. A Venezuela está trabalhando no mundo da criptomoeda.

A Venezuela segue na tentativa de controlar o Bitcoin e as criptomoedas, uma tarefa que nem mesmo a China conseguiu. Por outro lado, o país parece ser o pioneiro em institucionalizar esse mercado que cresce a passos largos enquanto devolve às pessoas liberdades econômicas que, em outra época, estavam centradas na mão de governos.


Leia mais: Venezuela prova que Bitcoin poderia ser alternativa viável ao bolívar

Posts relacionados

55% dos hodlers de Bitcoin entraram esse ano; segundo pesquisa

Vini Barbosa
6 de dezembro de 2021

Conheça a criança que ficou rica com bitcoin aos 12 anos

Neto Guaraci
12 de outubro de 2020

Trezor anuncia integração com cliente oficial do Monero

Cointimes
18 de janeiro de 2020
Sair da versão mobile