O parlamentar venezuelano José Guerra lançou uma bomba no Twitter nesta terça-feira (29/01/29): o Boeing 777 russo que havia pousado em Caracas no dia anterior estava lá para levar 20 toneladas de ouro dos cofres do banco central do país.

A alegação gerou uma onda de especulação e indignação da mídia social. Quando perguntado como ele sabia disso, Guerra não forneceu evidências.

Apenas outro comentário estranho de um legislador tentando chamar a atenção para a situação difícil da Venezuela devastada pela crise? Talvez não. Por um lado, Guerra é um ex-economista do banco central que permanece em contato com antigos colegas de lá.

Por outro lado, uma pessoa com conhecimento direto do assunto disse à Bloomberg News que 20 toneladas de ouro foram reservadas no banco central para serem carregadas. Com valor de US $ 840 milhões, o ouro representa cerca de 20% de suas participações do metal na Venezuela, disse a pessoa.


Quer ganhar Bitcoins?
A gente te ajuda nisso.
Abra uma conta grátis!


 

Ele não forneceu mais informações sobre planos para essas barras.
Com o presidente Nicolas Maduro perdendo o controle das já escassas finanças e reservas do país graças às sanções dos EUA, quem pode colocar as mãos nas 200 toneladas de ouro do país em Caracas e no exterior se tornou uma questão-chave. A nação deve bilhões a seus patronos, Rússia e China, bem como aos detentores de bônus da dívida, e também precisa de moeda forte para comprar alimentos para seu povo faminto.

A Venezuela vem tentando há anos aumentar suas reservas de ouro, incentivando a mineração, colocando os militares no comando de vastos territórios que produzem o metal precioso. A empresa estatal responsável por processar o ouro, derretendo-o, chama-se Minerven. Soldados regularmente descarregam esse ouro derretido em veículos blindados com destino ao banco central e outros lugares.

Os EUA têm trabalhado para colocar Juan Guaido, o chefe da Assembléia Nacional, que diz ser o legítimo presidente da nação, encarregado das finanças venezuelanas e que quer fazer o regime morrer de fome financeiramente.

Na semana passada, o Banco da Inglaterra negou o pedido de autoridades de Maduro para retirar US $ 1,2 bilhão de ouro armazenado depois que altos funcionários dos EUA, incluindo o secretário de Estado Michael Pompeo e o conselheiro de segurança nacional John Bolton, pressionaram seus homólogos do Reino Unido a cortar o ativos do regime no exterior.

Na segunda-feira, um avião pertencente à Nordwind Airlines, uma popular operadora russa sediada em Moscou, pousou no aeroporto internacional perto de Caracas, segundo o site de rastreamento de voos FlightRadar24. Um porta-voz da Nordwind se recusou a comentar na quarta-feira sobre o propósito do voo.

O ministro das Finanças, Simon Zerpa, recusou-se a comentar sobre o ouro do país e disse que não havia avião russo no Aeroporto Internacional Simon Bolivar.

“Vou começar a trazer aviões russos e turcos toda semana para que todos fiquem com medo”, disse ele.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia não tem informações sobre o jato da Nordwind, informou a porta-voz Maria Zakharova em uma mensagem na quarta-feira. Não há planos para retirar russos da Venezuela, disse ela.

Suporte do Kremlin

Putin com Maduro

Foto: Kremlin/Divulgação

“A Nordwind faz um grande número desses vôos para fazer o pedido”, disse Oleg Panteleyev, diretor do AviaPort, um consultor de aviação de Moscou. “Como regra, não há muitos pedidos para a Venezuela, então este país não pode ser chamado de um destino popular entre os russos”, embora não haja proibição oficial de fretar uma aeronave no país, disse ele.

O Kremlin tem dado apoio ao país latino-americano nos últimos anos, tornando-se um dos maiores beneficiários de empréstimos e investimentos russos e um posto avançado da influência de Moscou em uma região dominada pelos EUA. Mas a Rússia tem sido reticente em comprometer mais capital, especialmente porque os funcionários da oposição disseram que não poderiam honrar todas as obrigações do governo de Maduro.

A Rússia prometeu “fazer tudo” para proteger Maduro dos esforços norte-americanos para derrubá-lo, já que o governo Trump emitiu novas sanções contra a Venezuela na segunda-feira, sem detalhar os próximos passos.

Um alto funcionário do Ministério das Finanças da Rússia, enquanto isso, advertiu que a Venezuela poderia ter problemas em cumprir com os pagamentos de um acordo de renegociação de dívidas de US $ 3,15 bilhões em 2017. A próxima parcela de US $ 100 milhões deve ser paga em março. O ministério disse depois que a Rússia espera que a Venezuela cumpra suas obrigações, de acordo com um comunicado enviado por email.

Texto traduzido e adaptado da Bloomberg.


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!