No início de agosto, o Bitcoin era negociado próximo do nível de R$ 208.976,38. Conforme notícia que saiu hoje mesmo no Cointimes, o Bitcoin atualmente ultrapassa a resistência de preço próxima de R$ 260.000. 

Consequentemente, a recente alta de 32% em um mês – de acordo com o GoinGoLive, também elevou o volume de negociações nas corretoras brasileiras. 

Agora, para esclarecer essa alta em números concretos, de acordo com o relatório mensal do Cointrader Monitor sobre o resumo mensal das operações de compra e venda de bitcoin no Brasil, cerca de R$ 2 bilhões em volume foram movimentados a mais do que o mês de julho.

Volume de BTC negociado no Brasil saltou para R$ 7,6 Bilhões

O Cointrader Monitor nos mostra que: “As exchanges brasileiras declararam ter movimentado 31.647,06 Bitcoins de 1 a 31/08/2021, que equivale a aproximadamente R$ 7.611.380.161,50 (7,6 Bi)”.

Infográfico com o volume negociado por todas as corretoras atuantes no Brasil no mês de agosto – Fonte: Cointrader Monitor
Infográfico com o volume negociado por todas as corretoras atuantes no Brasil no mês de agosto – Fonte: Cointrader Monitor 

“Em comparação com o mês de Julho (30.137,41 Bitcoin), o volume de Bitcoins movimentados aumentou em 5,01%. Porém, o volume de Reais necessários para realizar a movimentação dessa quantidade de Bitcoins percebeu um incremento de 39,64%.” acrescentou o relatório. 

Devido à valorização do dólar sobre o real nesse mês, o Bitcoin, que é cotado comumente em dólar, teve uma valorização maior ainda sobre o real. 

Alta de 2,16% do dólar no mês de agosto. Fonte: TradingView.
Alta de 2,16% do dólar no mês de agosto. Fonte: TradingView.

Durante os meses de julho e agosto, a situação econômica brasileira não cresceu de acordo com a expectativa das autoridades financeiras do país. Podemos resumir o cenário com a nota publicada pelo Exército essa semana: 

“Aspectos conjunturais, como a pandemia da Covid-19, associada ao atual cenário da economia, têm ocasionado uma variação significativa de valores de diversos itens a serem adquiridos”, afirmou a nota, emendando: “Isso provocou o desabastecimento de alguns gêneros alimentícios”.

Entenda: Inflação causa desabastecimento nos quartéis de Brasília, diz Exército

Para acolher essa demanda crescente de investidores de Bitcoin que querem fugir da inflação da moeda brasileira, mais uma vez a Binance teve um papel primordial. 

O relatório destaca a dominância da principal corretora internacional de criptomoedas aqui no Brasil. “Pelo sexto mês consecutivo, a exchange com maior volume foi a Binance, tendo negociado 11.025,57 Bitcoins. A Binance foi responsável por 34,8% das negociações de Bitcoins no Brasil durante o mês de agosto”, segundo o relatório. 

Leia Mais: 

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br