Passfolio

Se você é usuário de criptomoedas e não quer cair em golpes ou perder dinheiro, a Cointimes ouviu três especialistas: Fabiano Nagamatsu, diretor da Osten Moove, Pedro Henrique, Founder & CEO da fintech PurpleCats e Cleberson Marques, especialista em desenvolvimento e inovação imobiliária, e um dos fundadores da Terra Toke, que contam como se dar bem no setor.

Neste texto damos 12 dicas importantes para você não cair em armadilhas e nem perder criptos. 

Existem muitos golpes que são dados usando criptomoedas, alguns deles são aplicados em grupos de telegram ou discord. Pedro lembra:

“Em todos os projetos sérios, nenhum administrador do grupo irá entrar em contato direto com você a menos que se inicie uma conversa. Então se receber uma mensagem direta de alguém dizendo que você ganhou um NFT, Airdrop ou promoção, já bloqueia pois é furada. Assim como o mercado tradicional, as criptomoedas, também têm volatilidade. E é possível maximizar os ganhos quando escolhemos bons projetos e com fundamentos”.

1.   Invista em conhecimento: Por se tratar de um tipo de negócio novo, invista em conhecimento. Procure aprender o conceito e a mecânica de funcionamento dos criptoativos,  além das notícias que tratam do assunto.

Passfolio

“Na internet, é possível encontrar bons conteúdos gratuitos em texto, vídeos e podcasts e até cursos, através dos quais podemos aprender muito”, diz Cleberson. Busque fontes confiáveis.

O Cointimes Club oferece o curso gratuito para iniciantes. Inscreva-se aqui!

2.   Ajuda de um especialista: Cleberson aconselha: “Na hora de investir, não é necessário ter um intermediário, mas é indicado buscar ajuda especializada”. Ouvir pessoas com mais experiência é importante, apesar de que toda ajuda deve ser recebida com olhar crítico e não apenas confiar cegamente.

3.   Bons operadores: Pesquise a procedência dos operadores. Os futuros investidores devem avaliar e pesquisar a reputação da empresa onde estão operando seus investimentos.

4.   Ver a liquidez do negócio: Observar a liquidez do negócio, que deve estar bem exposta, se as taxas cobradas são próximas às maiores exchanges de mercado e se a plataforma tem selos que garantem a segurança do cliente, como exemplo o da ABCripto, Abfintechs, Gocach entre outros. As exchanges citadas pela ADVFN International Financial Awards por premiações ou que compõem o ranking do Blockchain Transparency Institute (BIT), são normalmente mais credenciadas e seguras no mercado cripto. 

5.   Desconfie do ganho fácil: Parece milagre, mas não é… E se parecer desconfie. Todo negócio que parece milagroso não é boa coisa.

“Lembre-se as pirâmides financeiras oferecem grandes ganhos no início, mas não se sustentam, pois necessitam sempre de entrada de pessoas com altos volumes”, diz Fabiano Nagamatsu, diretor da Osten Moove.

Todas as empresas sérias trabalham com médio e longo prazo, então não há um retorno imediato daquele investimento e nem uma certeza de quanto receberá. “É muito improvável a empresa tentar garantir um resultado sem explicar a regra do jogo e mostrar com transparência como funciona essa flutuação da cadeia”, afirma Cleberson.

6.   Conheça seus investimentos: Antes de investir em criptomoedas, procure saber quais são elas, como funcionam, enfim descubra tudo o que puder sobre aquilo que está investindo.

7.   Saiba tudo sobre a empresa: Não invista na primeira empresa que lhe oferecer a operação financeira em criptomoedas. Antes pesquise o seu histórico, antecedentes, qual é a carteira que possui, verifique a sua reputação nas comunidades e nos fóruns. Isso até lhe dará mais segurança.

8.   Teste a empresa: Antes de tomar a sua decisão final, teste os canais de atendimento da empresa de operação em criptomoedas, afinal você precisará dele.

9.   Os fundadores: Os fundadores são os corações da empresa, portanto procure saber os seus históricos e também se informe com quem já investiu nessa operadora.

10.   Não coloque todos os ovos em uma cesta: Isso vale para qualquer investimento. Procure fazer pequenas aplicações e diversificadas.

11.   Cuidado no Pós investimento: Após a conversão do investimento em criptomoedas, Cleberson orienta que o investidor deve continuar tomando alguns cuidados, principalmente com o local onde o valor está depositado. Mesmo a cripto sendo segura e impossível de ser falsificada, há risco da empresa de câmbio, onde as criptomoedas estão armazenadas, ser invadida e todos os dados dos clientes serem perdidos e expostos, inclusive suas reservas, por isso tenha certeza da solidez da exchange escolhida para iniciar suas operações. 

12. Retire o dinheiro da exchange: É importante tirar o dinheiro da exchange e transferir para uma carteira digital (wallet), pois a partir do momento em que essa transferência é feita, todas as suas criptos existentes na exchange são sacadas e permanecem somente no wallet. Segundo Marques, a carteira digital é o ambiente mais seguro que o mercado oferece.

“Ela é como se fosse um pendrive ou aplicativo, além de oferecer segurança criptografada e senha individual, ela é uma ferramenta que armazena informações que só quem tem a senha pode administrar”, finaliza Cleberson.

Fontes: Fabiano Nagamatsu, diretor da Osten Moove, Pedro Henrique, Founder & CEO da fintech PurpleCats e Cleberson Marques, especialista em desenvolvimento e inovação imobiliária, e um dos fundadores da Terra Toke.

Mais:

Passfolio