paulo guedes x estatais

43% das estatais estaduais tiveram prejuízo em 2018

Em um relatório inédito divulgado pelo Tesouro Nacional, é mostrada a situação precária das 251 empresas estatais dos estados.

No relatório é mostrado que das 251 empresas existentes, 112 são deficitárias e precisam de investimentos do Estado, ou seja, o seu dinheiro para sobreviver.

O Rio de Janeiro lidera o ranking de empresas estatais dependentes do dinheiro do pagador de impostos, como mostra o gráfico abaixo.

Visualização da quantidade de empresas por estado

Sendo a área que mais dá prejuízos aos cofres públicos é a de transportes, com prejuízos de aproximadamente R$1,5 bilhão, depois pesquisa com ~R$200 milhões e habitação com R$100 milhões. Todas são áreas conhecidas pelos altos subsídios, principalmente a de transportes.

Os dados mostram que a maioria das empresas deficitárias é dependente do estado , precisando de dinheiro até para pagar pessoal e custeio:

Empresas com prejuízo x empresas com lucro

No geral, as subvenções e investimentos nas estatais que têm o Estado como acionista não deram um retorno líquido positivo , pelo contrário como afirma o estudo:

” De forma geral, ao longo de 2018 ,os Estados transferiram R$ 11,4 bilhões como reforço de capital, R$ 4,7 bilhões como subvenções e receberam R$ 2,2 bilhões de dividendos das empresas, ou seja, houve repasses líquidos para as estatais da ordem de R$ 14 bilhões. “

No mapa abaixo é possível ver o resultado Líquido das Empresas para o Estado Acionista:

Mapa colorido conforme o valor do resultado líquido das empresas
São Paulo investiu 72% do resultado liquido negativo, por isso ele foi cortado do mapa

Para ver os dados completos desse estudo, acesse o github do grupo técnico da Secretaria do Tesouro Nacional.

Fica clara a necessidade de privatizar essas empresas, principalmente em um ambiente de grandes restrições de gastos que pouco sobra para edução, saúde e segurança.

Sobre o criador de conteúdo

Apaixonado por tecnologia, inovação e criptomoedas. Escrevo matérias para o Cointimes desde sua criação.

Postar um comentário

You don't have permission to register