Um ex-desenvolvedor do Bitcoin Core reparou que a rede da criptomoeda estava ficando mais lenta e ao tentar entender o porquê ele se deparou com uma situação inusitada e inesperada para a maioria dos bitcoiners. 

Nos últimos 4 anos o ex-desenvolvedor do Bitcoin Core James Lopp conduziu ritualisticamente teste de sincronização de diversos clientes do Bitcoin – que são softwares capazes de verificar as transações, enviá-las e descobrir novos computadores na rede. 

Estamos falando da base fundamental para o funcionamento do bitcoin. 

Em 2021, James descobriu que a sincronização dos primeiros 655.000 blocos do blockchain demorou 85% a mais de tempo que no ano anterior. Entretanto, fazendo uma sincronização local (entre máquinas na própria rede), viu-se uma diminuição de 12% no tempo para chegar ao mesmo número de blocos.

O que aconteceu?

Investigando as possíveis causas, Lopp descobriu que 96% dos nodes de bitcoin alcançáveis usando o protocolo IPV4 contam com conexões inferiores a 4Mbps. 

Quando isso acontece, o cliente que faz a requisição espera por 2 segundos um bloco completo que pode ter 8 megabits de informação, como o node é incapaz de passar toda a informação, o software tenta contato com outro node e assim por diante. 

“E, dependendo das velocidades dos outros pares a partir dos quais seu nó está sincronizando, esse processo pode se repetir muitas vezes ao longo do download inicial do bloco, causando atrasos agregados significativos.”

Gráfico do Tempo de sincronização em minutos do Bitcoin Core
Tempo de sincronização em minutos do Core

Ele também descobriu que apenas 50% dos nodes de bitcoin tem conexões disponíveis:

Rede disponível

E parte dos nodes alcançáveis no experimento não continham o blockchain completo ou não respondiam, causando ainda mais atrasos no momento do download do blockchain. 

Por que ter um node próprio de bitcoin é importante? 

Ter um node completo com o blockchain do bitcoin é extremamente importante para a rede e também para quem deseja ser soberano financeiramente. Com ele, você pode verificar a validar as transações sem confiar em um terceiro e enviar transações com mais confiabilidade.

O bitcoin é uma rede pública de nodes, o serviço de envio de dados do blockchain é feito, geralmente, por voluntários e de forma totalmente gratuita e muitas vezes de servidores caseiros. 

Como resultado, os nodes podem variar as velocidades de download e upload de acordo com o uso da internet da casa desses voluntários. De acordo com Lopp, o cliente Bitcoin Core deveria mudar sua lógica para medir a média de velocidade dos nodes, desconectando apenas aqueles que estão abaixo do padrão. 

“Isso é uma ameaça existencial à rede? Acho que não, é apenas um pequeno aborrecimento para pessoas como eu que estão buscando o máximo de desempenho inicial de download de blocos.”

“É complicado reclamar sobre esse assunto porque o que estamos realmente falando é um recurso disponível publicamente que está sendo oferecido gratuitamente por um grupo de voluntários. Isso é, no entanto, algo que as implementações de nó Bitcoin devem pensar em relação à sua lógica de “peer paralisado”.” -finalizou Lopp. 

Confira a análise completa em Lopp.net.

Leia também:

Conheça o desenvolvedor do Bitcoin que sumiu do mapa e viveu anônimo

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br