Em um relatório divulgado nesta quarta-feira (14), a gestora de ativos digitais Grayscale Investments confirmou que obteve 1,05 bilhão de dólares em entradas de capital no terceiro trimestre.

Seu principal produto, o Grayscale Bitcoin Trust (GBTC), absorveu US$ 719,3 milhões em bitcoins nesse período, o equivalente a 4 bilhões de reais. No total, o fundo detém R$ 26,35 bilhões em bitcoins, ou mais de 2% de todas as moedas em circulação.

Segundo o fundador da Digital Currency Group, controladora da Grayscale, o fundo de Ethereum da empresa também está em posse de cerca de 2% da oferta disponível da criptomoeda.

De acordo com o relatório, 84% do dinheiro investido no terceiro trimestre da Grayscale veio de investidores institucionais, incluindo fundos de hedge e escritórios familiares. E apenas 43% de seus clientes são residentes nos EUA, sendo o restante offshore.

Quanto ao motivo pelo qual as instituições estão aumentando sua exposição ao Bitcoin, Grayscale apontou para duas tendências: estímulos endossados pelo governo reduzindo o valor das moedas fiduciárias e uma busca por maiores retornos à medida que outras classes de ativos ficam superaquecidas.

O forte trimestre da Grayscale vem depois que a empresa começou uma onda de publicidade, comprando pontos de anúncios nos principais meios de comunicação financeiros.

O principal comercial, que foi ao ar em agosto, destacou como o dinheiro fiduciário foi perdendo força nos últimos anos devido aos governos “imprimindo quantias ilimitadas de dinheiro”.

Curiosamente, o comercial não mencionou as palavras “Bitcoin” ou “criptomoeda”, mas, em vez disso, pretendia atuar como um “alerta para que as pessoas em todos os lugares aproveitem o que sentimos ser uma oportunidade única em uma geração”, diz uma publicação do blog da companhia.

Uma semana depois que o comercial foi ao ar, Grayscale postou no Twitter que viu um significativo aumento na entrada de capital de clientes.

As instituições estão comprando mais Bitcoin do que nunca

O relatório de investimento do terceiro trimestre da Grayscale destaca o fato de que as instituições estão acumulando cada vez mais bitcoins.

O CEO da Coinkite, Rodolfo Novak, criou recentemente o Bitcoin Treasuries, uma plataforma que rastreia as compras de bitcoins por empresas de capital aberto em todo o mundo. Dados do site indicam que é possível comprovar que instituições e empresas possuem pelo menos 602.055 bitcoins, ou aproximadamente 2,87% do estoque em circulação. A maioria dessas participações é composta pela Grayscale Bitcoin Trust.

O investimento institucional em Bitcoin aumentou maciçamente nas últimas semanas e meses, à medida que os investidores despertaram para a necessidade de hedges e ativos alternativos em suas carteiras.

Na terça-feira, a Stone Ridge Asset Management revelou que havia acumulado US$ 115 milhões em bitcoins, ou 10.000 moedas. Explicando o investimento, o cofundador da empresa, Robert Gutmann, disse à Forbes que sua empresa vê “o crescimento de longo prazo de um sistema monetário de código aberto – em ativos como bitcoin”.

Ele acrescentou que a pandemia COVID-19 forçou os investidores a olhar para o que constitui uma carteira equilibrada, referindo-se como o Bitcoin atua como um hedge contra a inflação monetária.

Aos olhos de alguns, o acúmulo simultâneo de bitcoin entre os participantes institucionais e de varejo poderia desencadear uma “crise de liquidez do lado do vendedor” que aumentará drasticamente os preços.

À medida que os investidores institucionais absorvem o bitcoin dos vendedores, os investidores de varejo têm retirado o bitcoin em massa das exchanges. Isso significa que, no geral, o preço do Bitcoin pode aumentar em um ritmo mais rápido.