Passfolio

De acordo com alguns analistas de Wall Street, no curto prazo, as ações da Meta vão passar por outra queda por conta de um cenário macro difícil e menor demanda de anúncios. 

As ações caíram 5% nas negociações pré-comercialização depois que a Meta (META) reportou seu balanço de receita do segundo trimestre, que não cumpriu as expectativas dos analistas.

A empresa de mídia social também emitiu uma previsão decepcionante para o terceiro trimestre, citando uma “continuação do fraco ambiente de demanda de publicidade que experimentamos ao longo do segundo trimestre, que acreditamos estar sendo impulsionado por uma incerteza macroeconômica mais ampla.”

Mais mudanças em suas posições de liderança 

Outra pedra no caminho, na opinião dos analistas, são as recorrentes mudanças em posições de liderança na empresa. No momento, o diretor financeiro, David Wehner, está passando para o cargo de diretor de estratégia, e a vice-diretora de finanças, Susan Li, assumirá o cargo de diretora.

Passfolio

A Meta também anunciou no início de junho que Sheryl Sandberg estava deixando seu cargo de diretora de operações.

Ainda assim, os analistas acreditam que a queda de preço é uma oportunidade para os investidores de longo prazo comprarem ações da Meta, que acreditam estar bem posicionada para voltar com força após a recuperação da demanda de anúncios e como a monetização dos Reels no Instagram. 

Ações da Meta caíram 50% este ano

O analista Ronald Josey, do Citi, escreveu em uma nota que “embora as taxas de engajamento estejam entre as melhores que a Meta já teve, uma monetização mais baixa devido a uma mudança na adoção dos Reels, perda de sinal devido a mudanças no iOS e desafios macro estão impactando o crescimento da receita e a lucratividade.”

No entanto, ele acredita que com a monetização dos Reels a um ritmo mais rápido que dos stories, a Meta “pode fechar a lacuna da monetização entre Reels, feed e stories ao longo do tempo.”

Por conta disso, o Citi manteve sua classificação de compra na Meta, mas baixou sua meta de preço de US $270 para $222.

Analistas como o Deepak Mathivanan, da Wolfe Research, acreditam que os investimentos da Meta em inteligência artificial e descoberta de conteúdo vão acabar compensando a compra das ações. 

Segundo uma nota escrita por Mathivanan, a Meta está fazendo “progressos em iniciativas de produtos e monetização que devem ajudar a impulsionar ganhos de ações durante/após a queda no espaço de anúncios digitais.”

A Wolfe Research acredita em uma performance superior aos pares da empresa, embora tenha reduzido sua meta de preço de US $240 para $200.

Enquanto isso, Jason Helfstein, da Oppenheimer, disse que a empresa está bem posicionada para “afastar o risco do TikTok,” observando que a avaliação das ações foi convincente.

Nem todos tem uma perspectiva tão otimista 

Como mencionado antes, o pessimismo está relacionado principalmente às perspectivas de curto prazo da empresa.

Doug Anmuth, do JPMorgan, diz acreditar que as estimativas consensuais são de uma provável queda, “talvez de forma significativa.” O JPMorgan cortou sua meta de preço sobre a Meta, de US $225 para $200, pois o banco acredita que as opiniões dos investidores “não mudarão muito.”

Lloyd Walmsley do UBS cortou suas estimativas de lucros por ação para o quarto trimestre e 2023 após o relatório, citando “fraqueza de base ampla, e desafios macro superando a flexibilização.”

“O envolvimento com os Reels continua a subir, mas a monetização parece lenta. Dada a magnitude das mudanças de produto em andamento, achamos que os investidores precisam ouvir uma melhoria clara para se sentirem confortáveis.”

Por isso, o analista cortou sua meta de preço das ações de US $215 para $195 por ação, o que implicou um aumento de 15% em relação ao preço de fechamento da quarta-feira, que foi de US $169,58

Ajustes de Wall Street sobre o preço de ações da Meta:

  • Atlantic Equities: de US $215 para $210; 
  • Barclays: de US $280 para $250; 
  • Wolfe Research: de US $240 para $200;
  • RBC Capital Markets: de US $200 para US$ 190;
  • Stifel: de US $260 para $230, com as ações classificadas como boa compra;
  • Evercore ISI: de US $280 para $240;
  • Raymond James: de US $290 para $215;
  • AllianceBernstein: de US $255 para $230; 
  • Mizuho: de US $250 para $225, com as ações classificadas como boa compra;
  • Cowen: de US $275 para $250; 
  • UBS: de US $215 para $195, com as ações classificadas como boa compra.

Para investir em ações listadas na Bolsa de Valores de NY crie sua conta na corretora Passfolio, parceira oficial do Stocktimes.

Leia também:

Passfolio