A AlphaPoint é um dos maiores provedores de software para exchanges de bitcoin do mundo, tendo como clientes a Foxbit, Xdex e FlowBTC. Mas agora eles querem atrair investidores institucionais com seu novo upgrade.

Segundo o portal de notícias Coindesk, a AlphaPoint quer atrair fundos de investimentos, empresas de Private Equity e outras gigantes do mercado tradicional. A ideia é que elas consigam digitalizar facilmente seus ativos.

“Nós estamos habilitando nossos clientes a irem em frente com a adoção institucional de security tokens como um meio de facilitar a criação, redução de custos via contratos inteligentes, e otimização de negócios com a flexibilidade provenientes de uma ledger imutável pelos STOs” – disse Sali Donde, CEO da Alphapoint.

Para quem não conhece o termo, um STO é um Security Token Offering, um conceito parecido com uma oferta de ações, porém usando tokens em um blockchain.

Nós explicamos essa diferença no texto abaixo, vale a pena ler:

https://cointimes.com.br/sto-e-tendencia-para-2019/

AlphaPoint x Basement

A Alphapoint vai competir com a Basement, plataforma de estruturação que também dá recursos para a criação de STOs para startups.

O Basement é uma criação da Kria, uma startup brasileira de equity crowdfunding regulada pela CVM, que conseguiu deixar fácil o investimento em startups e empresas promissoras.

Nós inclusive fizemos uma entrevista com o CEO da Kria:

https://cointimes.com.br/quem-e-o-kria-e-como-ela-esta-mudando-a-forma-de-investir-no-brasil/

Do outro lado a Alphapoint é apoiada pela Galaxy Digital, uma gigante do setor de cripmoedas, que em junho aportou U$$15 milhões na plataforma.

Esse movimento da AlphaPoint vai confirmando o que estávamos dizendo desde o começo do ano, os STOs vão substituir os ICOs. O processo é lento, mas as vantagens de se criar um STO são muitas.

Com essa jogada a AlphaPoint cria mais uma ponto de entrada para o mercado de investimentos e abre seu repertório de produtos. Quanto mais competição, melhor para o investidor!