O mercado de ações pode ver uma segunda grande queda similar a um movimento que aconteceu na Grande Depressão de 1920, segundo o analista Gary Shilling.

Shilling ficou famoso por prever a recessão de 1969 e acertar corretamente a direção da inflação norte-americana em 1970. O analista acredita que teremos uma segunda queda no mercado de ações e ela ficaria na casa dos 30-40%.

A queda seria movida pela diminuição nas expectativas de recuperação rápida dos investidores.

“As ações estão [se comportando] de maneira semelhante à recuperação de 1929, onde há absoluta convicção de que o vírus estará sob controle e que estímulos monetários e fiscais maciços revigorarão a economia”, disse ele.

Shilling acredita que a história pode se repetir e agora estaríamos no período da “Hoover recovery” (veja o gráfico). A recuperação de Hoover é o período em que o presidente Herbert Hoover tentou implementar uma política anti-cíclica de gastos públicos e empréstimos para manter os negócios funcionando. Semelhanças com a situação atual?

Veja o que aconteceu na Grande Recessão de 29:

Em março o S&P 500  caiu absurdamente devido ao agravamento da pandemia de coronavírus. Contudo, com o otimismo dos investidores em uma recuperação rápida, o índice subiu quase 40% desde então.

Mas a felicidade dos investidores pode durar pouco, o diretor do FED já avisou que a economia norte-americana não verá uma recuperação em V e sim, provavelmente, em formato de logo da Nike.

Bitcoiners em alerta

Se uma segunda onda de quedas chegar no mercado ações os bitcoiners devem estar preparados.

É possível que a correlação entre bitcoin e mercado de ações se mantenha no período de baixa, isso significa que poderemos ter bitcoins ainda mais baratos. E claro, se a segunda queda seguir a primeira então isso significaria que o Bitcoin irá cair menos que as ações, como mostramos no post “Bitcoin caiu menos que mercado de ações“.

Além disso, a criptomoeda se recuperou mais rápido e superou todas as expectativas dos analistas no mesmo período. No Brasil, a criptomoeda chegou a bater recordes históricos devido à alta no preço do dólar.